18/02/2019 às 15:29

7 – Investimentos de Renda Fixa de instituições financeiras

Carlos Castrucci Carlos Castrucci

O que são emissões financeiras?

Este artigo irá explicar o que são e como investir em emissões financeiras.

Quem emite e por que emite

Os títulos de renda fixa de instituições financeiras são emitidos, principalmente, pelos bancos. Além deles, as financeiras também emitem alguns instrumentos de dívida específicos.

Tanto para os bancos, quanto para as financeiras o objetivo de captar recursos via dívida é aumentar a disponibilidade de dinheiro para financiar sua principal atividade, o empréstimo para pessoas e empresas que precisam de crédito.

Para ilustrar esta operação, imagine que um banco venda R$ 1.000.000,00 de um CDB pagando 0,5% ao mês de juros. Então, a instituição recebe esse R$1.000.000,00 e empresta esse mesmo valor para a empresa A, cobrando 3,0% ao mês de juros. Caso a empresa pague os compromissos dela, o banco terá uma receita de 2,5% ou R$ 25.000,00 por mês na operação.

Os tipos de títulos de instituições financeiras

Os ativos de renda fixa de bancos e financeiras são emitidos, na grande maioria das vezes, com característica de rentabilidade pós-fixada, e com o pagamento do principal + juros apenas no vencimento. Porém, essas instituições possuem liberdade para emitir, também, títulos com rentabilidade prefixada ou hibrida e com pagamento de juros até mesmo mensais (confira o artigo “Como comparar rentabilidades diferentes? Aprenda como escolher entra investimentos prefixados, pós fixados e híbridos”).

Atualmente, os principais ativos negociados são:

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário) / RDB (Recibo de Depósito
    Bancário)
    o Emitidos por bancos;
    o Geralmente com rentabilidade pós-fixada, como % do CDI;
    o Disponibilidade de investimento a partir de R$ 1.000,00 ou valores inferiores em algumas instituições;
    o Prazo de vencimento costuma variar desde liquidez diária até 5 anos;
    o Normalmente, os juros são acumulados e pagos no vencimento. Em alguns casos pode pagar juros mensais;
    o Difícil de vender o título antes do vencimento;
    o Garantidos pelo FGC até o limite de R$ 250.000,00 por instituição, por CPF e limitado a somatória de 1 milhão de reais em 4 anos.
    o Tributados pela tabela regressiva de imposto de renda (confira o artigo “Tributação de Investimentos em Renda Fixa”).

 

  • DPGE (Depósito a Prazo com Garantia Especial)
    o Emitidos por bancos;
    o Geralmente com rentabilidade pós-fixada, como % do CDI. Porém, inferior ao CDB/ RDB, devido à garantia especial;
    o Disponibilidade de investimento a partir de valores mais altos, como R$ 250.000,00;
    o Prazo de vencimento longo, a partir de 2 anos;
    o Juros são acumulados e pagos no vencimento;
    o Difícil de vender o título antes do vencimento;
    o Garantidos pelo FGC até o limite de R$ 20.000.000,00 por instituição e por CPF; e
    o Tributados pela tabela regressiva de imposto de renda.

 

  • LF (Letra Financeira)
    o Emitidos por bancos;
    o Geralmente com rentabilidade pós-fixada, como % do CDI;
    o Vendidos em sua maioria para investidores institucionais, como fundos de investimento;
    o Prazo de vencimento longo, a partir de 5 anos;
    o Juros são acumulados e pagos no vencimento;
    o Quando emitidos por bancos grandes, costuma ter liquidez para venda antecipada via mercado secundário;
    o Não possuem garantia do FGC; e
    o Tributados pela tabela regressiva de imposto de renda.

 

  • LCI (Letra de Crédito Imobiliário) / LCA (Letra de Crédito ao Agronegócio)
    o Emitidos por bancos com o objetivo de direcionar estes recursos para os setores imobiliário de agronegócio;
    o Geralmente com rentabilidade pós-fixada, como % do CDI;
    o Disponibilidade de investimento a partir de R$ 1.000,00 ou valores inferiores em algumas instituições;
    o Prazo de vencimento costuma variar desde liquidez diária até 3 anos;
    o Juros são acumulados e pagos no vencimento;
    o Difícil de vender o título antes do vencimento;
    o Garantidos pelo FGC até o limite de R$ 250.000,00 por instituição e por CPF; e
    o Isentos de imposto de renda.

 

  • LC (Letra de Câmbio)
    o Emitidos por financeiras;
    o Geralmente com rentabilidade pós-fixada, como % do CDI;
    o Disponibilidade de investimento a partir de R$ 1000,00 ou valores inferiores em algumas instituições;
    o Prazo de vencimento costuma variar desde liquidez diária até 5 anos;
    o Normalmente, os juros são acumulados e pagos no vencimento. Em alguns casos pode pagar cupons de juros mensais;
    o Difícil de vender o título antes do vencimento;
    o Garantidos pelo FGC até o limite de R$ 250.000,00 por instituição e por CPF; e
    o Tributados pela tabela regressiva de imposto de renda (ver artigo 12 para melhor entendimento sobre tributação).

Como investir nesses ativos e ao que atentar

Hoje em dia, é possível ter acesso à títulos de diversas instituições dentro de uma única plataforma de investimentos. Alguns oferecendo maiores rentabilidades, outros menores. Então, na hora de escolher em qual ativo o investidor aplicará, este deve se fazer duas perguntas:

1. As rentabilidades mostradas são comparáveis?

a. No caso de 2 CDBs sim. Porém, se a escolha for entre uma LCI/LCA e um CDB não. Pois, a LCI/ LCA é isenta de imposto de renda e sua rentabilidade deve ser ajustada para refletir um investimento tributável (leia o artigo “Tributação de Investimentos em Renda Fixa” para descobrir como realizar este ajuste).

2. Por que um ativo com mesmo vencimento rende mais do que outro?
a. Um maior rendimento é oferecido para quem aceita correr mais riscos. Logo, se o banco A oferece 120% do CDI e o banco B 100%, o banco A tem mais chances de não pagar sua dívida.

Até o limite de garantia do FGC, o investidor não terá muitas preocupações. Porém, a partir do momento que a pessoa ultrapassa ol imite, é de extrema importância que esta analise bem as condições da instituição financeira antes de emprestar seu dinheiro para a mesma.

Carlos Castrucci

Carlos Castrucci

Hoa Asset Management

Carlos Castrucci é gestor de recursos e fundador da Hoa Asset Management. Carlos é engenheiro civil, candidato ao nível 3 do CFA e possui certificação de gestores Anbima (CGA). A Hoa atua no planejamento de gestão patrimonial para famílias e indivíduos.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub