18/02/2019 às 16:01

10 – Fundos de investimento em Renda Fixa

Carlos Castrucci Carlos Castrucci

Investir em fundos de renda fixa pode ser uma opção interessante para quem busca diversificar sua carteira de renda fixa.

O presente artigo irá explicar o que são os fundos de renda fixa e como investir neles.

O que é um fundo de investimento

Fundo de investimento é o nome dado à um veículo criado com a finalidade de unir os recursos de diversas pessoas em um único lugar e contratar um gestor para aplicar estes recursos de forma profissional e de acordo com uma estratégia pré-determinada.

Para entender o funcionamento de um fundo, é importante entender quem são os principais agentes envolvidos.

  • Cotistas – Estas são as pessoas que investem no fundo. E fazem isso, comprando cotas do fundo;
  • Gestor – Empresa contratada pelo fundo para definir a estratégia e realizar os investimentos do fundo;
  • Administrador – Empresa contratada pelo fundo para cuidar do dia a dia e controlar os outros prestadores de serviços; e
  • Custodiante – Este representa a instituição financeira onde o dinheiro e os ativos do fundo ficam guardados, consequentemente para onde os cotistas enviam o dinheiro ao comprar cotas de um fundo.

Fundo de Investimento em Renda Fixa

Todo fundo de investimento é constituído mediante um regulamento, onde estão estabelecidas as regras de funcionamento que se aplicam a todos os cotistas, inclusive a estratégia de investimentos.

É a partir da estratégia de investimento que os fundos são distribuídos entre as diversas classes, dentre elas a classe de renda fixa.

Os fundos de investimento em renda fixa são caracterizados pela determinação de que quase a totalidade do seu patrimônio seja investido em ativos de renda fixa de um modo geral.

Com a finalidade de facilitar a escolha do investidor, a CVM ainda divide os fundos de renda fixa em 4 subclasses:

  • Renda Fixa – Curto Prazo: Vencimento dos ativos que compõem a sua carteira precisa respeitar o prazo máximo a decorrer de 375 dias;
  • Renda Fixa – Referenciados: Buscam acompanhar a variação de determinado indicador de referência (benchmark) definido em seu objetivo. Geralmente o CDI;
  • Renda Fixa – Simples: Devem manter no mínimo 95% do seu patrimônio em títulos públicos federais; e
  • Renda Fixa – Dívida Externa (pouco comum no Brasil): mantêm no mínimo 80% de seu patrimônio líquido em títulos representativos da dívida externa de responsabilidade da União.

No que ficar atento ao escolher um fundo

Antes de mais nada, é importante o investidor ter em mente dois pontos comparativos merecedores de destaque:

1. O rendimento apresentado pela cota do fundo é líquido das taxas de administração e performance (se houver). Sendo assim, não se deve utilizar taxas como fator excludente de opções de fundos a escolher. Tome como exemplo um fundo cuja rentabilidade é 110% do CDI com taxa de 1% ao ano e um fundo com rentabilidade de 100% do CDI e taxa de 0,3% ao ano. No caso de risco semelhante, o investimento no primeiro fundo é preferível;

2. Fundos de investimento possuem uma antecipação de impostos chamada “come-cotas” que afeta a rentabilidade líquida de impostos deste investimento (confira o artigo “Tributação de
Investimentos em Renda Fixa”). Sendo assim, ao comparar um CDB de 2 anos e um fundo de renda fixa, por exemplo. É importante saber que caso os dois apresentem a mesma rentabilidade antes de imposto, o CDB renderá mais do que o fundo por conta do “come-cotas”. Além disso, quando um investidor decide alocar recursos em um fundo de renda fixa, este deve se faze as seguintes perguntas:

1. Quem é e qual o histórico do gestor do fundo?
2. Em quais ativos este gestor pode investir?
3. O prazo de resgate e liquidação das cotas corresponde às suas necessidades de liquidez?
4. Existem taxas de entrada e resgate?
5. Quais as taxas de administração e performance? (Vale destacar que em fundos de renda fixa, uma taxa de administração elevada pode afetar a rentabilidade do fundo em um cenário de juros
baixos como o atual)
6. Em comparação com fundos do mesmo segmento como ele se comporta?

Respondendo a estas perguntas, aumenta a probabilidade de o investidor realizar uma boa escolha de fundos.

Carlos Castrucci

Carlos Castrucci

Hoa Asset Management

Carlos Castrucci é gestor de recursos e fundador da Hoa Asset Management. Carlos é engenheiro civil, candidato ao nível 3 do CFA e possui certificação de gestores Anbima (CGA). A Hoa atua no planejamento de gestão patrimonial para famílias e indivíduos.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub