18/02/2019 às 15:12

6 – Entenda o que são os títulos públicos

Carlos Castrucci Carlos Castrucci

Você já ouviu falar em investir em títulos públicos ou tesouro direto e se perguntou o que é e como investir neles?

Este artigo buscará explicar o que são os títulos públicos, qual sua finalidade e como investir neles.

Os títulos públicos são instrumentos de dívida emitidos pelo Tesouro Nacional do Brasil, utilizados como forma de captação de recursos para financiar parte dos gastos do governo. Ou seja, quando o investidor compra um título público, o mesmo está emprestando dinheiro para o Brasil em troca da promessa de pagamento do principal mais juros.

Por serem títulos de dívida da nação, são considerados os investimentos de menor risco dentro de todo o mercado de capitais brasileiro.

Quais tipos de títulos existem?

O Tesouro Nacional emite títulos com as três características de rentabilidade, pré-fixado, pós-fixado e hibrido (confira o artigo “Como comparar rentabilidades diferentes?
Aprenda como escolher entra investimentos prefixados, pós fixados e híbridos”). Além disso, oferece investimentos que pagam juros semestrais e o principal no vencimento e títulos que
acumulam os juros ao longo do tempo e no vencimento pagam o valor total de principal + juros.

Atualmente, os principais títulos negociados no Tesouro Direto são:

  • Tesouro Selic (LFT)
    – Rentabilidade pós-fixada (taxa Selic); e
    – Juros são acumulados e pagos no vencimento.
  • Tesouro Prefixado (LTN)
    – Rentabilidade é pré-fixada; e
    – Juros são acumulados e pagos no vencimento.
  • Tesouro Prefixado com juros semestrais (NTN-F)
    – Título, também, pré-fixado; e
    – Se diferencia pelo fato de pagar cupons de juros semestrais.
  • Tesouro IPCA + com juros semestrais (NTN-B)
    – Rentabilidade híbrida, variação da inflação (IPCA) mais taxa prefixada;
    – Paga cupons de juros semestrais.
  • Tesouro IPCA+ (NTN-B principal)
    – Rentabilidade híbrida, variação da inflação (IPCA) mais taxa prefixada;
    – Juros são acumulados e pagos no vencimento.

Como investir títulos públicos

Até o final de 2001, o acesso aos títulos públicos limitava-se praticamente aos investidores institucionais. Pois, a única forma de compra-los era através de um conta na central depositária Selic (ver artigo 12), onde os títulos são negociados, e o valor mínimo de investimento era elevado.

Em 2002, o Tesouro Nacional, em parceria com a atual B3, lançou o Tesouro Direto objetivando o acesso ao investimento em títulos públicos pelas pessoas físicas.
A partir de então, o investidor pôde investir em títulos públicos com valores tão baixos
quanto R$ 30,00.

O Tesouro Direto funciona da seguinte maneira:

  • A B3 mantém títulos públicos custodiados em sua central depositária (CBLC) e os fatia em diversos pequenos pedaços;
  • O investidor acessa o sistema via banco ou corretora e escolhe o ativo que quer investir;
  • Quando a compra é realizada, o título escolhido fica custodiado na CBLC no CPF do investidor; e
  • Por esse serviço, a B3 cobra uma taxa de custódia de 0,25% ao ano sobre o valor investido. Até 2018, a taxa era 0,30% ao ano.

Preste atenção antes de investir

Existem duas principais questões que devem ser ponderadas pelo investidor antes de aplicar em títulos públicos.

  • Primeiro, é importante escolher bem o banco ou corretora por onde será realizada a operação. Pois, algumas instituições cobram uma taxa de custódia de Tesouro Direto adicional à já cobrada pela B3 e isso afeta diretamente a rentabilidade do investimento. Já existem diversas opções de corretoras e alguns bancos que não cobram mais essa taxa.
  • Segundo, é necessário ter em mente que no caso de investimento em LTN, NTN-F, NTN-B ou NTN-B principal, o preço do título deve apresentar oscilações positivas e negativas ao longo do tempo, devido à marcação a mercado desses títulos (Confira o artigo “É possível existir rendimento negativo em renda fixa?”). Porém, no vencimento do ativo, o investidor receberá a remuneração acordada no momento da compra.

Com esses dois pontos em mente, o investidor está pronto para investir em títulos públicos sem surpresas. E a melhor forma de o fazer é via Tesouro Direto.

Carlos Castrucci

Carlos Castrucci

Hoa Asset Management

Carlos Castrucci é gestor de recursos e fundador da Hoa Asset Management. Carlos é engenheiro civil, candidato ao nível 3 do CFA e possui certificação de gestores Anbima (CGA). A Hoa atua no planejamento de gestão patrimonial para famílias e indivíduos.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub