02/03/2020 às 4:06

O lado B do Insider Trading existe?

TC School TC School

Insider trading ou negociações com informações privilegiadas são operações realizadas por pessoas que possuem vantagem informacional em relação ao mercado. No caso do mercado de ações, esses agentes podem ser os diretores e executivos de alto escalão das empresas. No caso, do mercado de títulos de renda fixa, temos as pessoas que de alguma forma possuem informações sobre a determinação da taxa de juros pelos bancos centrais.

No geral, é difícil ganhar de um insider: eles possuem mais informações sobre o valor real dos ativos e sobre os possíveis eventos que ainda não são de conhecimento do público.

 

Como o insider trading pode prejudicar os seus investimentos?

Neste caso, temos a seguinte situação: imagine que você planeja realizar seu aporte mensal ou semestral no mercado de ações. Você escolhe uma empresa que está sendo negociada com múltiplos atrativos. Após algumas análises sobre as perspectivas futuras de crescimento da empesa, você decide realizar a compra.

Alguns dias depois, sai a notícia de que da empresa será alvo de uma investigação policial sob suspeita de fraude ou outro tipo de corrupção e os preços das ações despencam.

Alguém sabia dessa informação? Talvez! Talvez alguém da polícia tenha vazado a informação para alguém de dentro da empresa. Os executivos podiam já ter vendido parte das posições que possuem na companhia por um preço maior antes da queda e você pode ter comprado no mesmo dia.

Um exemplo recente disto aconteceu com a JBS (clique aqui para entender o caso).

 

É possível se antecipar aos movimentos dos insiders?

Neste caso do exemplo, teria como você antecipar a negociação dos insiders? Bem, infelizmente não – a menos que você seja o próprio insider.

Como você saberia das negociações? No nosso artigo “Insider Trading e Retornos das Ações: é possível obter vantagem?” falamos sobre os relatórios da Instrução CVM 358 que os diretores e executivos das empresas listadas precisam enviar para à CVM após realizar negociações com as ações da empresa.

Infelizmente, se um gestor realizar uma negociação ele tem até 10 dias do mês seguinte para comunicar a negociação. Então, é muito complicado usar essas informações para se proteger.

Felizmente, apesar do atraso, os relatórios podem ser utilizados para confirmar a boa gestão da empresa: existe uma associação entre a quantidade de ações possuídas pelos gestores e as perspectivas de bons resultados futuros. Se os gestores apresentam parte de sua riqueza investida na empresa que trabalham, eles estão sinalizando que a companhia possui potencial de entregar resultados condizentes com o risco.

 

O Lado B do Insider Trading

 Comparando com o caso brasileiro, os EUA possuem uma regulamentação bastante rígida em relação ao insider trading. No mercado americano, é exigido o nome do indivíduo que negociou e a divulgação em até dois dias após o fato ter ocorrido, o que possibilita ao mercado o acompanhamento das negociações dos insiders quase diariamente.

Neste cenário, existe a possibilidade de utilizar os relatórios como estratégia de investimento. Essa estratégia é chamada de “siga o mestre”, por permitir que os gestores ao comprar ações da própria empresa emitam “sinais” da qualidade de seus ativos.

 

O que dizem as pesquisas?

 Você compraria ações de uma empresa que o dono está se desfazendo de suas posições? Entre duas empresas do mesmo setor e com os mesmos múltiplos, qual você tem mais confiança: aquela cujos gestores possuem mais ações ou aquela com menor participação dos gestores? Após ver um relatório de compra de ações por insiders, você teria mais confiança se o comprador estivesse em uma posição maior dentro da empresa?

No artigo “O Lado B do Insider Trading: relevância, tempestividade e influência do cargo”, os autores, Felipe Pontes, Orleans Silva e Edilson Paulo, buscam responder essas questões. Foram aplicadores 271 questionários, onde 146 eram estudantes, 81 eram professores e 44 eram profissionais da área de negócios.

Os resultados da pesquisa apontaram que as negociações dos insiders são relevantes para as decisões de investimentos dos demais participantes do mercado. Os investidores também estariam mais propensos a investir quando a negociação é considerada anormal, ou seja, acima dos valores que costumam ser negociados por insiders.

A tempestividade (entendida como o tempo entre o insider trading e a sua divulgação) também apresentou influência na decisão de investimento dos demais investidores: se a divulgação do relatório demorar demais, os investidores pedem o interesse em investir. Por fim, o cargo do insider não apresentou relação com a decisão de investir na empresa.

 

Conclusões sobre o lado B do insider trading

 

O que podemos tirar de tais informações?

Os resultados reforçam a importância da transparência das negociações dos insiders, para que os participantes do mercado possam fiscalizar e controlar melhor as suas operações, bem como utilizar alguma estratégia de investimento baseada nos sinais de compra e venda dos insiders.

Podemos concluir que o insider trading de venda pode ser realizado tanto com base em alguma informação privilegiada, quanto por motivos não relacionados com a informação: o gestor pode querer usar o dinheiro da venda de ações com outra coisa qualquer.

Porém, o insider trading de compra é um indicador de que os gestores apostam no sucesso da companhia e uma estratégia que segue os passos dos gestores pode ser bem-sucedida. Logo, se você é um investidor fundamentalista, vale a pena conferir a participação dos gestores na companhia investida. Será que eles acreditam no potencial da própria empresa?

Os resultados reforçam a importância da transparência das negociações dos insiders, para que os participantes do mercado possam fiscalizar e controlar melhor as suas operações, bem como utilizar alguma estratégia de investimento baseada nos sinais dos insiders.

Lucas Nogueira
Mestre em Finanças pelo PPGA/UFPB
Contribui com textos educativos para o TC School

TC School

TC School

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub