TC School / Livros

Um homem para qualquer mercado (Edward Thorp)

17/07/2020 às 15:00

TC School TC School

Nesse texto, farei uma resenha da autobiografia de Edward Thorp, o livro Um homem para qualquer mercado: de Las Vegas a Wall Street, como derrotei a banca e o mercado. Para facilitar as coisas, dividi o texto nos seguintes pontos:

  • Estrutura do livro: Finanças
  • “Quebrando a banca”: como Thorp derrotou os cassinos utilizando o instrumental matemático
  • Um homem a frente de seu tempo: utilizando a fórmula de Black & Scholes antes mesmo de Black & Scholes!
  • Por que os investidores deveriam ler essa obra?

Boa leitura!

Um homem para qualquer mercado

Leia mais resenhas de livros:

Estrutura do livro

Antes de tudo, é interessante destacar o formato da obra escrita por Thorp. Nas palavras de Nassim Taleb “as memórias de Ed Thorp parecem um livro de suspense”. Isso porque o leitor encontra um pouco de tudo, desde sua infância genial, onde destacava-se constantemente no colégio, até suas aventuras no cassino com grandes cientistas, como Claude Shannon, considerado o pai da teoria da informação e suas aventuras por Wall Street.

Além disso, é importante salientar que o autor não se restringe apenas a narrar sua história. Thorp explica a lógica por trás de cada ideia, seja para derrotar os cassinos ou o mercado. Dessa forma, é interessante que o leitor esteja familiarizado com alguns termos do mundo financeiro como as opções, não sendo isso um impeditivo para apreciar o livro.

Um homem para qualquer mercado

Uma das narrativas mais interessantes do livro é sobre como Thorp criou e provou um método do jogador obter vantagem sobre a casa no blackjack. Intrigado desde a infância com as verdades absolutas do mundo, ele resolveu dedicar seus estudos de forma a criar algum método para oferecer vantagens aos jogadores frente aos cassinos.

Nesse sentido, o jogo escolhido foi o blackjack, pois Throp recebeu uma dica de um amigo, o professor Robert Sorgenfrey. A dica era sobre uma estratégia que afirmava colocar o apostador na menor situação de desvantagem já vista em relação a qualquer jogo de cassino. Inventada por quatro matemáticos enquanto estavam no exército, a estratégia cobria centenas de decisões com que um jogador poderia se deparar.

Em seguida, após verificar que a matemática por trás dessa estratégia era válida, Ed buscou desenvolver um método para vencer sistematicamente da banca. A estratégia dos matemáticos do exército era a melhor possível quando não se sabia sobre quais cartas tinham sido jogadas. A grande sacada de Thorp foi, na tentativa de contar cartas, que a fração das cartas remanescentes que importa, não a quantidade. Por exemplo: um baralho com 30 cartas e restam 9 dez tem a mesma fração de um baralho com 20 cartas e 6 dez.

Como Thorp derrotou os cassinos utilizando o instrumental matemático

Assim, assumindo que a relevância não era o número absoluto de cartas remanescentes e sim a proporção, Thorp conseguiu simplificar significativamente os cálculos. Mais tarde ele viria a testar seu método nos computadores do MIT. É preciso lembrar que ele começou a trabalhar nessa estratégia em 1959, quando os computadores não eram tão acessíveis assim.

As ideias de Thorp e os métodos de jogo foram publicados no livro Beat the Dealer (1962), fazendo grande sucesso na época. Os jogadores começaram a levar os cartões de estratégia no livro aos cassinos, impondo perdas substanciais às casas. Isso obrigou os cassinos a pensarem em formas de restaurar a vantagem, seja reduzindo o prêmio pago ou adicionando mais baralhos, dificultando a contagem de cartas. Vários times de blackjack foram formados nessa época, um deles, o time do MIT, é retratado no filme Quebrando a Banca (2008).

Utilizando Black-Scholes antes mesmo de Black-Scholes!

Antes de começar esse parágrafo, permita-me perguntar uma coisa: você conhece Fischer Black e Myron Scholes, vencedores do Prêmio Nobel de Economia em 1997 e seu famoso modelo de precificação de opções? Acredito que a resposta seja sim (caso contrário, recomendo a leitura do texto elaborado pela equipe do TC School), mas você sabia que a ideia inicial veio de um livro de Thorp?

Em seu livro, Ed relata “Então, recebi uma carta de quem nunca tinha ouvido falar: Fischer Black. Ele dizia que era um admirador do meu trabalho e que ele e Myron Scholes tinham levado a ideia chave de Beat the Market, conhecida como delta hedging, um passo adiante e derivado uma fórmula de opções. Examinei o artigo e vi que se tratava da mesma fórmula que eu estava usando.”

Dessa forma, é possível perceber que o livro de Thorp, Beat the Market (1967), serviu de inspiração para a fórmula mais famosa no mundo das opções. Edward utilizava a fórmula seu fundo, a Princeton Newport Partners (PNP), porém de maneira intuitiva, sem uma formalização, a qual foi feita por Black & Scholes (1973).

Além de tudo, outro ponto interessante a destacar é como Thorp foi um dos pioneiros na revolução quantitativa de Wall Street. Muito se fala de Jim Simmons e da Renaissance Technologies, já que estes são inegavelmente os quants de maior sucesso. Entretanto, deve-se lembrar que Thorp tinha sua abordagem nos investimentos baseada em dados desde 1969, quando fundou a PNP.

Por que os investidores devem ler um homem para qualquer mercado?

Além de ser uma narrativa divertida e muito curiosa, a biografia de Thorp passeia por acontecimentos marcantes do mundo das finanças. A Black Monday em 1987, a ascensão e queda do fundo Long-term capital management (LCTM), Bernie Madoff e o maior esquema de ponzi da história são apenas alguns temas que o livro aborda, um prato cheio para os amantes das finanças. Isso sem contar as experiências e os insights compartilhados sobre os jogos de azar. Em suma, a leitura da obra muda a maneira de enxergar os jogos.

Por fim, apesar de não parecer um livro de finanças no começo, o leitor que escolher perseverar, certamente não irá se arrepender de ter lido um homem para qualquer mercado.

Referências

BLACK, Fischer; SCHOLES, Myron. The pricing of options and corporate liabilities. Journal of political economy, v. 81, n. 3, p. 637-654, 1973.

Lucas Costa Santos
Lucas Costa Santos
Estagiário do TC School. Graduando em Economia pela UFPB
Membro do Projeto Quantum e vencedor do Prêmio Calouro Destaque em 2018.

TC School

TC School

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub