18/02/2019 às 16:42

2 – Débito e crédito: ação e reação aplicadas ao mundo corporativo

Felipe Pontes Felipe Pontes

Como surgiu a Contabilidade? Vocês já se perguntaram?

Os mais religiosos poderiam dizer que a contabilidade é uma obra criada por alguma divindade, porque a base da ciência contábil é um sistema perfeito (matemático) e não se pode definir ao certo a sua origem.

Se vocês pensarem bem, a contabilidade e esse sistema está em todos os lugares.

Se abrirmos uma torneira, a água sairá de um lugar e irá para outro. Quando usamos uma caneta para escrever, a tinta sai da caneta e vai para o papel. Tudo que usamos ou fazemos na vida tem uma origem e uma aplicação. Neste texto você entenderá como funciona a contabilidade, por meio de um sistema chamado de método das partidas dobradas.

O MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS QUE FAZ COM QUE O ATIVO SEJA IGUAL AO PASSIVO MAIS O PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O método das partidas dobradas é o sistema que nos permite registrar as origens e aplicações dos recursos das empresas, considerando que cada evento gerará um débito e um crédito correspondente e de igual valor. Por isso nome de “partida dobrada”.

Na verdade, “um débito e um crédito” é como costumamos explicar para simplificar as coisas, mas na realidade, para um mesmo evento, podemos ter mais de um débito e mais de um crédito, porém a soma dos débitos e dos créditos para esse evento tem que ser em um montante igual.

Antes de entrar no exemplo para demonstrar o funcionamento do método, aqui vai uma curiosidade: CONTABILIDADE NÃO É UM CURSO DE EXATAS.

O método das partidas dobradas foi divulgado pela primeira vez no livro “Summa de Arithmetica, Geometria, Proportioni et Proportionalita”, do Frei Luca Pacioli, em 1494. Como o Summa é um livro de matemática e o método é matemático, talvez por isso as pessoas achem que a contabilidade é uma ciência exata.

Fora o método, que é exato, a contabilidade não tem muito mais coisas exatas, como deixarei claro no final deste artigo. Por isso devemos ter muito cuidado ao analisar empresas!

EXEMPLO SIMPLES DE APLICAÇÃO DO MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS

Se uma empresa faz a compra de um veículo por R$ 100.000,00, pagando R$ 20.000,00 com uma transferência bancária e os outros R$ 80.000,00 em parcelas mensais de R$ 20.000,00 (sem juros, para não complicar o entendimento para esse nível), teríamos os seguintes lançamentos no ato da compra:

Débito – Veículos: R$ 100.000,00
Crédito – Banco: R$ 20.000,00
Crédito – Contas a Pagar: R$ 80.000,00

Veja que o montante do débito é igual à soma dos dois créditos.

Pode parecer estranho o porquê de um bem que você comprou ter origem devedora, mas explico isso quando for falar da natureza das contas no próximo texto.

Passado o primeiro mês, teremos que dar baixa em parte da dívida e ainda reconhecer uma parte da depreciação no resultado da empresa (vamos supor que de R$ 1.500,00 por mês).

Pagamento da parcela do veículo:

Débito – Contas a Pagar: R$ 20.000,00
Crédito – Banco: R$ 20.000,00

O leitor que já conhece um pouco das contas deve ter percebido que nenhum lançamento desse afetou o lucro da empresa. Apenas mexemos em contas patrimoniais. Nada de lucro. Ainda!

Agora a conta de “Contas a Pagar” que tinha um saldo credor de R$ 80.000,00, tem saldo credor de R$ 60.000,00, porque pagamos uma parcela de R$ 20.000,00. Como vocês sabem, as coisas tendem a se desvalorizar por diversos motivos. Um deles é a depreciação que é o “consumo” do bem que a empresa tem e esse “consumo” do bem reduzirá também o lucro do período, por isso reconheceremos a despesa de depreciação e reduziremos o montante registrado na conta de veículos:

Débito – Depreciação: R$ 1.500,00
Crédito – Depreciação Acumulada: R$ 1.500,00

Assim, reduzimos o lucro (com a despesa de depreciação) e o valor do ativo (com a conta redutora do ativo “depreciação acumulada”) na mesma proporção!

O MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS É PERFEITO, MAS OS NÚMEROS CONTÁBEIS PODEM NÃO SER TÃO PERFEITOS ASSIM

Apesar de o sistema ser bom, as pessoas é quem registram os fatos e esses fatos podem ser registrados de uma forma que não representem bem a realidade da empresa, mesmo havendo um débito correspondente e de igual valor. No exemplo que dei acima, a empresa, para melhorar o seu lucro e atrair mais investidores, poderia ter registrado uma depreciação menor.

Porém é aí que está a graça porque parte da não exatidão da Contabilidade se dá pela mensuração dos accruals, que são os ajustes que fazemos na contabilidade para atender ao Regime de  competência, já que não usamos o Regime de Caixa. Uma outra empresa poderia considerar uma depreciação maior, mesmo sem intenção de ludibriar os seus investidores. Isso vai depender do uso do ativo, que pode não ser igual entre as empresas. A depreciação é um tipo de accrual, já que a temporalidade da movimentação financeira (caixa) não bate exatamente com o reconhecimento da depreciação (que representa o “consumo” do ativo). Vejam que o veículo comprado será pago em 5 meses (R$ 100.000,00/R$20.000,00), enquanto que o veículo será totalmente depreciado em 67 meses (R$100.000,00/R$ 1.500,00) Analisem as informações contábeis, mas sempre de forma crítica, para evitar ser enganado!

A partir do próximo texto estaremos mais próximos das principais demonstrações contábeis (ou demonstrações financeiras, como alguns preferem) que são divulgadas pelas empresas.

  • A natureza das contas e os conceitos básicos de contabilidade
  • Balanço Patrimonial: uma foto numérica do patrimônio da empresa
  • Demonstração do Resultado do Exercício: o lucro é realmente tão importante assim?
  • Demonstração do Resultado Abrangente: o lucro é o fim?
  • Demonstração dos Fluxos de Caixa: cash is king
  • Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido: para onde os lucros são destinados?
  • Demonstração do Valor Adicionado: como a riqueza é distribuída?Notas Explicativas: ou nem tanto assim
  • Analisando os números contábeis em conjunto
  • O valor contábil é o valor de fato da empresa?
  • Você já sabe tudo sobre Contabilidade?

Aguardo vocês lá!

Felipe Pontes

Felipe Pontes

Diretor Educacional do TradersClub

Doutor em Contabilidade com foco em informações contábeis para o mercado de capitais pelo Programa UnB/UFPB/UFRN.
Professor de Contabilidade e Valuation.
Gestor de Clube de Investimento.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub