TC Mover
Mover

‘Vaza Jato’, tramitação da Previdência devem pautar semana do investidor; riscos no exterior amenizam

Postado por: TC Mover em 10/06/2019 às 8:42

As conversas vazadas do atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, quando era o juiz que comandava a Operação Lava Jato, são a mais recente fonte de preocupações do governo do presidente Jair Bolsonaro. As consequências políticas do vazamento do conteúdo das conversas de Moro com o procurador Deltan Dallagnol, um dos líderes da força-tarefa da operação, devem ser imediatas; já as legais devem demorar o suficiente para desgastar a imagem do ministro mais respeitado do governo Bolsonaro. Moro, que já tinha uma relação difícil com os líderes dos Poderes Legislativo e Judiciário, deve ter seu projeto anticrime congelado ou arquivado no Congresso até que o caso dos vazamentos seja esclarecido.

 

Os reflexos dos vazamentos sobre a reforma da Previdência são imprevisíveis. Os partidos de centro e a oposição há semanas querem usar a reforma como instrumento de barganha. Essas duas forças, antipáticas à figura de Moro e à Lava Jato, manobrarão para desacelerar a tramitação. Abandonará o Congresso o projeto? Não, disse o analista político e contribuidor TC Leopoldo Vieira. Para ele, “a centro-direita tradicional deve usar os vazamentos como sinal de fraqueza do Executivo para ‘provar’ ao mercado que foi o Congresso que bancou a medida.” Amanhã, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal julga, baseada em informação proveniente da força-tarefa, se os dirigentes do PP são integrantes de uma organização criminosa – o que pode se tornar um termômetro da situação.

 

O site The Intercept divulgou as conversas na tarde de ontem e, à noite, a mídia repercutia o conteúdo, levando o próprio Moro e o Ministério Público Federal a se pronunciarem. Segundo o Intercept, os procuradores da Lava Jato, liderados por Dallagnol, dividiam detalhes dos assuntos investigados com Moro. Nas conversas, Moro dá impressões sobre pedidos de prisão, orienta os procuradores e cobra novas operações. A opinião pública, previsivelmente, deve focar mais no trecho em que Moro e procuradores se indignam com a decisão do STF de autorizar uma entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão. Para os procuradores, uma entrevista daria um gás na candidatura de Fernando Haddad – concorrente direto de Bolsonaro no segundo turno da eleição de outubro.

 

Em meio a tantas incertezas aqui, a semana que começa deve ser menos tensa mundo afora. A decisão do presidente americano Donald Trump, na sexta-feira, de suspender a imposição de sobretaxas às importações vindas do México leva o investidor a vender ativos considerados como seguros: títulos dos Treasuries americanos, o ouro, o iene – todos despencam hoje. Nesta semana, não deixe de prestar atenção nas divulgações de indicadores nos EUA, onde teremos dados de inflação ao produtor e ao consumidor e produção industrial; de vendas no varejo e de desemprego na China; e da atividade industrial e do mercado de trabalho na Europa e no Reino Unido.

 

Na agenda local, Bolsonaro terá várias reuniões de articulação política hoje. Como destaques para a semana, fique de olho na votação no Senado, amanhã, do pedido de crédito suplementar, no valor de R$248,9 bilhões – mas, para essa votação, senadores precisam limpar da pauta cinco vetos presidenciais. Além disso, o relator da Reforma da Previdência deve apresentar seu texto final nesta quinta, provavelmente sem as partes que tratam da aposentaria rural, do Benefício de Prestação Continuada e, segundo o que se ventilava hoje na imprensa, sem o sistema de capitalização. Mas, no que diz respeito à política em Brasília, muita coisa pode mudar a depender da repercussão dos vazamentos da Lava Jato.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

 

Os índices acionários globais avançam nesta segunda-feira, após Trump rever o plano de sobretaxar as importações mexicanas para diminuir o fluxo de imigração ilegal nos Estados Unidos, diminuindo a demanda por ativos seguros. Na sexta-feira, Trump anunciou no Twitter que os EUA suspenderam a imposição de sobretaxas após uma semana de negociações. Isso permite que o investidor desloque o foco para o encontro do G-20, que ocorrerá nos dias 28 e 29 de junho, no Japão, onde Trump e seu colega chinês, Xi Jinping, irão se encontrar para discutir os empecilhos para resolver a disputa comercial entre os dois países. Dados da inflação nos EUA, como indicadores de atividade nas economias desenvolvidas também devem ser acompanhados de perto, após os líderes dos principais bancos centrais do mundo admitirem que nova rodada de estímulos é provável caso a economia global desacelere ainda mais.

 

Bolsas: Os futuros dos índices Dow Jones Industrials e S&P500 subiam 0,39% e 0,33%, respectivamente, na esteira da alta de 0,16% do índice pan-europeu Stoxx600, com investidores mais propensos a tomar riscos, após arrefecimento das disputas comerciais no mundo. A bolsa de Frankfurt estava fechada hoje, por conta de um feriado na Alemanha. O índice Xangai Composto fechou em alta de 0,86%, primeira alta em sete pregões. O índice VIX caía 1,10%, indicando menor volatilidade esperada para o pregão de hoje.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Principais notícias corporativas

 

 

Cielo: A Cielo informou a recompra de US$687,8 milhões em notas sêniores.

 

JHSF: A JHSF divulgou a conclusão da emissão de R$650 milhões em debêntures.

 

Aliansce: A Aliansce convocou Assembleia Geral Extraordinária para o dia 25 de junho, às 10h00, para discutir a incorporação pela Sonae Sierra.

 

Odebrecht: Odebrecht adia demissões por falta de caixa (Globo)

 

Via Varejo: XP disposta a aplicar R$2,3 bilhões de recursos de clientes para comprar controle da Via Varejo (Globo)

 

AES: AES venderá mais ativos para melhorar finanças e avançar em renováveis, diz CEO (Reuters)

 

CPFL Energia: Investidor pede mais desconto para ação da CPFL (Estado)

 

Ânima: Ânima faz parceria com a Singularity para oferta de cursos (Valor)

 

 

 

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

08h00 IPC-S semanal (junho)

08h25 Boletim Focus – Banco Central

 

Indicadores internacionais

05h30 Reino Unido – PIB mensal (abril)

05h30 Reino Unido – Produção industrial mensal (abril)

05h30 Reino Unido – Produção industrial anual(abril)

05h30 Reino Unido – Balança comercial mensal (abril)

11h00 EUA – Oferta de empregos JOLTs mensal (abril)

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis