Trump suspende tarifas para não azedar o Natal e bolsas disparam; amanhã, balanços e PIB da UE no radar - TradersClub
TC News
News

Trump suspende tarifas para não azedar o Natal e bolsas disparam; amanhã, balanços e PIB da UE no radar

Postado por: TC News em 13/08/2019 às 17:47

O escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos anunciou hoje que vai adiar a implementação de uma sobretaxa de 10% sobre uma série de bens que o país importa da China até 15 de dezembro, em um movimento que o mercado interpretou como um gesto de boa vontade do presidente americano Donald Trump. As bolsas em Nova Iorque e as commodities dispararam, puxando os ativos de risco para cima após um segunda-feira sangrenta. Com a medida, Trump evita uma escalada inflacionaria nos EUA antes do Natal: na lista de isenções, ele inclui brinquedos, computadores e celulares.

 

Para alguns economistas, como Kevin Harris, da Continuum Economics, suspender as tarifas de novo em dezembro é pouco provável. Trump sabe que encarecer o custo dos produtos natalinos “made in China” nos EUA prejudicaria as vendas no varejo e suas chances de reeleição no ano que vem. Ao isentar esses bens, Trump também faz um apelo à bolsa, que ele vê como um barômetro da sua popularidade e da saúde da economia americana. E quais as ações que mais se beneficiaram da medida de hoje? As favoritas do mercado: os papéis de tecnologia, consumo discricionário e varejo.

 

Com esse cenário de maior apetite por risco mundo afora, o Ibovespa fechou em alta de 1,36%, a 103.299 pontos, com volume negociado de R$13,6 bilhões, perto das médias diárias do ano. Em pontos, a maior contribuição veio da Vale ON, que disparou quase 3%. Em percentagem, a Suzano foi a que liderou, com alta de 5,87%. O dólar futuro recuava 0,51% nos minutos finais da sessão, cotado a R$3,971. Os contratos de juros futuros fecharam em direções mistas, com o DI para janeiro próximo recuando para 5,445%, enquanto os vencimentos entre 2021 e 2023 avançaram.

 

No entanto, o interesse de Trump em avançar na negociação comercial com a China pode ser basicamente eleitoreiro, disse Harris. “É provável que haja tarifas em 15 de dezembro caso Trump não veja progresso nas conversas do mês que vem com a China”, aponta. Trump tampouco parece interessado em deixar de provocar a China: hoje tuitou que a China ainda está comprando poucos bens agrícolas americanos. Essa incerteza é o atual motor do Federal Reserve para reduzir os juros. Por isso, para Harris, um atraso nas tarifas seria um incentivo para o Fed não cortar a taxa Fed Funds nos próximos meses.

 

Outro assunto delicado em relação à China que foi objeto dos comentários de Trumpfoi a situação em Hong Kong, que hoje fechou o aeroporto para decolagens pelo segundo dia seguido. Citando informes do setor de inteligência, Trump disse que o exército chinês estava mobilizando tropas para a fronteira com Hong Kong. O Departamento de Estado americano instou a China a cumprir o acordo de dar a Hong Kong alto grau de autonomia quando assumiu o controle da cidade, em 1997. Essa fonte de tensão geopolítica deve impactar os mercados asiáticos, como aconteceu ontem e hoje.

 

No plano internacional, fique de olho com os dados do PIB da Zona do Euro, que devem sair amanhã cedo. O consenso projeta expansão de 0,20% no segundo trimestre na base sequencial, com o agravante de que deve haver contração na Alemanha – a maior economia do bloco. Companhias europeias como IQE, Lufthansa e Norsk Hydro têm reajustado suas perspectivas ou reduzido suas metas operacionais em semanas recentes, refletindo a deterioração na dinâmica do crescimento. Certamente, os números de amanhã, se vierem ruins, devem exacerbar os pedidos por mais estímulo fiscal e monetário.

 

Após o fechamento de hoje, mais de dez empresas divulgam resultados corporativos, entre elas, Qualicorp, Hapvida e Light. Amanhã, fique de olho na atividade parlamentar, com o Congresso acelerando a votação de medidas para ressuscitar a economia. A Comissão de Constituição e Justiça do Senado irá votar o requerimento de audiências públicas para debates sobre a Reforma da Previdência. A Embraer abre a manhã de quarta-feira com o balanço do segundo trimestre, junto com Kroton. Depois do fechamento, Via Varejo, JBS, Marfrig, Oi e Cemig também publicam resultados e metas operacionais ajustadas.

 

(Foto: Trump e Xi Jinping – Shealah Craighead/ White House Photo)

TC News Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis