TC Mover
Mover

Último pregão de setembro demanda cautela adicional

Postado por: TC Mover em 28/09/2018 às 7:58

O investidor está surpreendentemente apostando cada vez mais em uma alta do Ibovespa e queda do dólar a poucos dias do primeiro turno da eleição presidencial. A melhora no sentimento está relacionada aos desdobramentos menos adversos no front externo, com o que parece ser um afrouxamento das disputas comerciais e geopolíticas dos Estados Unidos, além do cenário de commodities em alta. Contudo, o cenário local, especialmente para a eleição, continua nebuloso: até o momento, a única tendência que parece se consolidar é a da ida para o segundo turno dos candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad.

 

Como mencionamos na nossa análise de ontem, o mercado parece ter optado pela descrença das pesquisas que mostram fraqueza nos números de Bolsonaro; também ganha força a tese de que Haddad, o candidato que o mercado vê como o mais hostil à plataforma de redução da dívida pública, não vai renegar da disciplina fiscal. Assim, o momento demanda cautela extra com tantas notícias confusas e tanta reação de mercado binária. Assuma uma exposição prudente ao risco, mas também mantenha-se líquido para aproveitar as oportunidades que possam aparecer, disse nosso contribuidor Rafael Ferri.

 

O índice Ibovespa já acumula alta de 4,4% em setembro, revertendo o recuo de 3,21% no mês anterior. O câmbio deve cair pelo segundo mês em seis, assim como outras moedas fortes e o ouro. O quadro mais propício aos investimentos se deu em meio a uma alta na aversão ao risco global, que empurrou as aplicações globais em ativos dos mercados emergentes e a sinalizações por parte das autoridades monetárias das maiores economias que a política de aumento de juros nos seus respectivos países manterá o viés gradual. Mesmo com maior demanda por prêmio, o mercado de juros também mostrou uma notável descompressão ao longo do mês de setembro: a taxa do contrato com vencimento em janeiro de 2021 recuou de 10,13% no primeiro pregão do mês para 9,46% ontem.

 

Hoje, câmbio, juros e bolsa devem se movimentar em sintonia com o tom das pesquisas eleitorais, os dados fiscais consolidados de agosto, os números de inflação e renda e gasto pessoais dos EUA e alguns discursos de autoridades monetárias mundo afora. No caso do dólar, hoje deve ter fixação da Ptax para o mês, o que pode trazer alguma volatilidade extra nesse mercado específico. Também fique de olho na crescente possibilidade de anúncio de acordo sobre a cessão onerosa – que levou o papel PN da Petrobras a registrar alta de 6,3% ontem – e mais sinais dos candidatos em relação a uma votação da reforma da Previdência antes do final do ano.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado em um minuto, segundo Contribuidores TradersClub

 

— Câmbio: deve oscilar com dados dos EUA, noticiário eleitoral; pode mostrar pressão por conta da formação da Ptax de setembro.

 

— Juros: deve seguir o dólar, de olho em pesquisas e no cenário político.

 

— Bolsa: com o exterior sem direção, pode ensaiar breves momentos de realização e alta, ancorado em notícias eleitorais e corporativas; expectativa para o acordo da cessão onerosa da Petrobras pode dar um gás nos negócios.  

 

— Ações: Petrobras, com leilão de 4 blocos do pré-sal e expectativa com a cessão onerosa; B3, com entrada de bancos médios na negociação de ativos antes exclusivos da companhia; Eletrobras, após leilão de contratos; Arezzo, com tarifa menor para calçados nos EUA; Cyrela, que deve voltar ao Minha Casa, Minha Vida; Gol, após compra de passagens pela Smiles; Ambev, que caiu para a terceira posição de maior empresa negociada na bolsa; Eternit, com agrupamento de ações; Profarma, com venda de participação em ativos; Itaú Unibanco, com aposentadoria antecipada do possível sucessor do CEO Cândido Bracher e mudanças relevantes na administração.

 

— Destaques das recomendações: BB Investimentos aponta que apesar de acordo com os Estados Unidos, a Petrobras ($PETR4) ainda deve enfrentar ações semelhantes na Holanda, Brasil e Argentina, mas com valores menores.

 

Principais notícias para começar o dia bem informado

 

Trading News

— Pesquisa IstoÉ/Sensus mostra Haddad próximo de Bolsonaro, empate no 2º turno

— Bolsonaro rebate fala de vice sobre CLT; rivais aproveitam e redobram ataques

— Leilão de ativos ajuda, mas não resolve problemas da Eletrobras

— Exterior, falta de reformas são riscos para inflação, diz Goldfajn

 

Valor Econômico

— Corrupção custa R$ 20 bi à Petrobras

— Uso das redes sociais muda a lógica das campanhas no país

— Argentina tem reação morna a novo pacote
— Câmbio atrai investidores estrangeiros

 

O Estado de S.Paulo

— Para preservar campanha, Bolsonaro impõe silêncio a Mourão

— Partidos repassam menos de 30% de fundo a mulheres

— Por segundo turno, PT e PSL já cortejam Meirelles

— Punida pelo TRE, Dilma Rousseff perde tempo de televisão

 

Folha de S. Paulo

— Ex-mulher acusou Bolsonaro de furto de cofre e agressividade

— Haddad quer antecipar nome para a Fazenda se passar ao segundo turno

— Repúdio a Bolsonaro expõe participação de torcidas nas eleições

— Covas estuda plano para ‘forçar’ retirada da cracolândia do centro de SP

 

Globo/G1

— Governo quer reduzir prazos para leiloar aeroportos e ferrovia ainda este ano

— Tesoureiro de Haddad é réu em ação por caixa 2 na campanha de 2012

— Marina promete dar R$ 3,7 mil a jovens inscritos no Bolsa Família que completarem ensino médio

— ‘Coisa da ditadura,’ diz Ciro sobre projeto do PT de regular a mídia

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais
— 08h00: Confiança dos Serviços – FGV
— 09h00: PNAD contínua de desemprego para agosto; consenso 12,2%
— 10h30: Relação Dívida/PIB de agosto; consenso 51,5%
— 10h30: Balanço primário de agosto; consenso -R$17,5 bi
— 10h30: Balanço nominal de agosto; consenso -R$46 bi    

Indicadores internacionais
— 03h00: Vendas no Varejo da Alemanha em agosto; anterior -0,4%    
— 04h55: Taxa de Desemprego da Alemanha em agosto; consenso 5,2%
— 05h30: PIB do Reino Unido no 2T; consenso 0,4%
— 05h30: Investimento empresarial no Reino Unido no 2T; anterior 0,5%
— 05h30: Saldo em conta corrente do Reino Unido no 2T; consenso -£19,4 bi
— 06h00: IPC da Zona do Euro em setembro; consenso 2,1%
— 09h30: Deflator do núcleo de PCE dos EUA de agosto; consenso 0,1%
— 09h30: Renda Pessoal dos EUA de agosto; consenso 0,4%
— 09h30: Gasto Pessoal dos EUA de agosto; consenso 0,3%
— 11h00: Índice Michigan de Percepção do Consumidor dos EUA de setembro; consenso 100,5
— 14h00: Contagem de Sondas dos EUA – Baker Hughes; anterior 866
— 22h00: PMI não manufatura da China em setembro;  54,2
— 22h00: PMI manufatura da China em setembro;  51,3
— 22h00: PMI composto da China em setembro; anterior 53,8

Eventos
— N.D.: Pesquisa de divulgação de pesquisa eleitoral XP/Ipespe
— N.D.: Previsão de divulgação de pesquisa eleitoral Datafolha
— N.D.: Aneel divulga bandeira tarifária para outubro

— 09h00: Leilão da 5ª Rodada de Partilha de Produção no Rio de Janeiro
— 09h00: Ministro da Fazenda, Eduardo Guardiã, tem reunião com grupo Cosan

— 09h30: Discurso de Thomas Barkin, membro do FOMC
— 09h30: Discurso de Peter Praet, economista-chefe do BCE
— 10h30: Presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, tem reunião com analistas do Santander

— 11h00: Coletiva de imprensa do BC

— 15h00: Coletiva de imprensa da Polícia Federal sobre fiscalização de fraudes tributárias

— 17h45: Discurso de John Williams, membro do Federal Reserve

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis