Perto dos 100 mil pontos, bolsa deve reagir a votações e Estados na reforma; exterior arisco, dados nos EUA são destaques - TradersClub
TC News
News

Perto dos 100 mil pontos, bolsa deve reagir a votações e Estados na reforma; exterior arisco, dados nos EUA são destaques

Postado por: TC News em 12/06/2019 às 8:32

O dia começa com as bolsas das maiores praças financeiras do planeta em queda, desanimadas em relação à guerra comercial. Os futuros dos índices americanos continuam a queda que se iniciou ontem em Nova Iorque após sete dias seguidos de ganhos. Ásia caiu em bloco, misturando a preocupação com a inércia no conflito comercial entre a China e os Estados Unidos com as ameaças do presidente americano Donald Trump de que vai segurar o acordo a não ser que a China retome os termos negociados no início do ano. Também pesou no sentimento o protesto em Hong Kong, onde a polícia enfrentou manifestantes que se opõem a uma lei que facilita a extradição de nacionais para a China.

 

O exterior atrai o olhar do investidor desde cedo: houve discurso do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, alertando sobre os perigos do protecionismo comercial; há decisão de juros na Turquia; e, mais tarde, os números de preços ao consumidor nos EUA podem dar uma ideia de como o Federal Reserve se comportará na sua reunião de juros da semana que vem. Aqui, os dados de vendas no varejo em abril são o destaque, enquanto o índice Bovespa, que ontem fechou perto dos 99 mil, pode sentir o impacto do vencimento de opções sobre o índice futuro.

 

Com a curva de juros futuros precificando corte de até 50 pontos-base na taxa básica de juros Selic até o final do ano, as vendas no varejo podem ser o catalisador de movimentos nos DIs. Também fique de olho no fluxo cambial, divulgado pelo Banco Central perto do meio-dia. Se o Ibovespa hoje materializar sua quarta alta em cinco pregões hoje e atingir de novo os 100 mil pontos dependerá da reação do mercado à aprovação do crédito suplementar no Congresso e às notícias, não tão boas, quanto à Reforma da Previdência.

 

No fórum dos governadores de ontem, houve mais dissenso do que consenso quanto à participação dos Estados na Nova Previdência, o que, segundo analistas políticos, denota desgaste dos governadores com suas bancadas regionais no Congresso. Há pressões para que o relatório do deputado Samuel Moreira, agendado para amanhã, já inclua mudanças que reduzam a economia fiscal esperada de R$1,2 trilhão. Então, hoje aguarde um dia tenso. O deputado Marcelo Ramos, presidente da comissão especial que estuda o projeto na Câmara, admitiu que discutirá com os líderes das bancadas o pedido da oposição para adiar a leitura do relatório de Moreira.

 

O sentimento vai reagir à forma como o governo Bolsonaro se posicionar para o diálogo, e alguns sinais, nesse quesito, parecem promissores. A aprovação do crédito suplementar de forma unânime impediu que o governo entre em situação de fechamento, o que foi comemorado pelo presidente Jair Bolsonaro: ele sinalizou uma maior disposição ao diálogo após sacramentar acordo com a oposição para evitar obstruções à pauta.

 

Já no campo corporativo, hoje deve precificar a oferta secundária de CPFL – e traders especulam que deve sair perto dos R$27 reais por ação, citando matérias da imprensa. Outros destaques incluem a precificação da oferta secundária feita pelos acionistas controladores do BTG Pactual – um sucesso, pois levantaram mais de R$2,2 bilhões a R$ 46 por ação, – e mais um capítulo na batalha pela Netshoes: a Centauro elevou sua oferta pelo controle da varejista eletrônica de vestuário para US$3,70 por ação, no valor de quase US$115 milhões, além de prometer R$120 milhões em capital de giro se a proposta for aceita. Com o minério de novo em alta forte na China, não se surpreenda se a Vale e a CSN tiverem mais dia bom na bolsa.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

 

Os ativos de risco, como ações e commodities, recuavam nesta quarta-feira nas maiores praças financeiras da Ásia e da Europa, colocando o recente rali em modo de pausa na esteira de quedas na bolsa de Nova Iorque ontem e maior preocupação com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. As bolsas asiáticas sentiram a primeira queda do Dow Jones Industrials em oito pregões e o reflexo dos protestos em Hong Kong sobre uma lei de extradição à China. Os futuros das bolsas americanas apontavam para abertura em queda, com sinais de fadiga no apetite por risco na medida em que a retórica protecionista dos países mais ricos avança. Hoje, lideranças do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional alertaram sobre os riscos de brigas comerciais prolongadas.

 

Bolsas: O Stoxx600, o índice referência pan-europeu, abriu hoje em queda pelo primeiro pregão em quatro. O índice Hang Seng de Hong Kong liderou as perdas na Ásia após enfrentamentos entre manifestantes e policiais. As bolsas chinesas recuaram após o presidente dos EUA, Donald Trump, reiterar que não vai assinar nenhum acordo se a China não se comprometer a respeitar termos antigos da negociação. Os futuros do Dow Jones e do S&P500 recuavam 0,26% e 0,24% por volta das 07h00. A maior aversão ao risco tomava conta dos mercados, com o VIX subindo 2% para perto de 16,50.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Principais notícias corporativas

 

 

Braskem: A Braskem informou que a Bolsa de Nova Iorque agendou para 17 de outubro a audiência sobre a suspensão da negociação e processo de deslistagem das ações da companhia nos EUA.

 

Petrobras I: A Petrobras iniciou fase não vinculante para venda de 27 campos maduros terrestres no Espírito Santo.

 

Petrobras II: A Petrobras estendeu o prazo no processo de venda da Breitener Energética, em que tem 93.37% de participação. A manifestação de interesse pode ser feita até dia 14 próximo e a assinatura do acordo de confidencialidade até 21 de junho.

 

Petrobras III: Petrobras assina acordo com Cade para venda de oito refinarias até 2021 (Valor)

 

Banco Inter: O Banco Inter informou que não foi tomada qualquer decisão sobre oferta pública subsequente de ações, o que será discutido na próxima AGE, em 26 de junho.

 

BTG Pactual: Acionistas do BTG Pactual levantam R$2,2 bilhões em oferta secundária; Preço da unit ficou em R$46.

 

Centauro: Centauro elevou a oferta para compra do controle da Netshoes a US$3,70 por ação, avaliando a empresa em US$115 milhões. A proposta prevê a tomada de R$375 milhões em empréstimos para o financiamento da operação e a oferta de R$120 milhões em contrato mútuo para capital de giro da Netshoes.

 

 

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

09h00 Vendas no varejo anual (abril) – IBGE

09h00 Vendas no varejo mensal (abril) – IBGE

12h30 Fluxo cambial semanal – Banco Central

 

Indicadores internacionais

08h00 EUA – Pedidos de hipotecas semanal – MBA

09h30 EUA – Núcleo do IPC anual (maio)

09h30 EUA – Núcleo do IPC mensal (maio)

09h30 EUA – IPC mensal (maio)

09h30 EUA – IPC anual (maio)

09h30 EUA – Rendimento real mensal (maio)

11h30 EUA-Estoques de petróleo bruto

15h00 EUA – Balanço orçamentário federal (maio)

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

TC News Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis