TC Mover
Mover

Mês começa com números fortes da China; mercado de olho na Previdência, com Bolsonaro em Israel

Postado por: TC Mover em 01/04/2019 às 8:42

Os números do setor manufatureiro da China, que vieram sólidos e bem acima do consenso, retiraram as preocupações com o estado da segunda maior economia do mundo, deram um gás nos índices futuros das bolsas americanas e aliviaram o desempenho das bolsas asiáticas e europeias na manhã desta segunda-feira. Os dados também deram fôlego à demanda por ativos de maior risco, como as ações de países emergentes e as commodities. O petróleo WTI flerta com a marca de US$60 por barril, ao passo que os metais básicos avançam. O dólar cai ante as moedas correlacionadas às commodities. O índice Bloomberg Commodity Index TR negocia perto da sua máxima no ano – hoje o minério disparou e tocou 650 iuanes por tonelada no mercado futuro em Dalian.

 

O mês de abril também deve ser marcado pelo noticiário em torno da reforma da Previdência, com o investidor aprendendo do pior jeito o problema do exagerado otimismo – enquanto não houver completa convicção da necessidade da reforma por parte dos congressistas, líderes políticos e juízes, a tônica será a mesma: volatilidade. O destaque será a audiência que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deverá ter na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara na quarta-feira. Dependendo dos sinais, podemos ver uma valorização mais rápida e consistente dos ativos brasileiros, de novo de uma forma não linear, ou seja, com bastante ruído e volatilidade.

 

O destaque da agenda econômica fica com o relatório do mercado de trabalho privado nos Estados Unidos, conhecido como o payroll não-agrícola. É provável que a economia americana tenha gerado menos empregos nos primeiros meses deste ano, em meio à desaceleração econômica em curso. Enquanto isso, hoje teremos a divulgação do Relatório Focus do Banco Central – que pode trazer a quinta revisão para baixo das projeções do mercado para o crescimento do PIB; acontece hoje no mercado acionário local a divulgação de prévia do Ibovespa para os próximos quatro meses, assim como o vencimento de opções sobre o índice IBrX-50 e a oferta pública de aquisição da Multiplus, pela controladora TAM. Espere mais PMIs ao longo do dia – especialmente os números do Brasil e dos EUA.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

Os principais mercados na Ásia e na Europa dispararam nesta madrugada após a China divulgar uma leitura forte para o PMI industrial de março, mitigando as preocupações com a desaceleração da maior economia do planeta.

 

Bolsas: O índice Xangai Composto disparou 2,58% para o maior patamar desde maio de 2018, levando os índices vizinhos de Tóquio e Hong Kong a subirem 1,43% e 1,76%, respectivamente. Na Europa, a euforia com do mercado asiático contaminou principalmente o setor automotivo alemão, que levava a bolsa de Frankfurt a negociar em alta de 1,44%. Os principais índices do Reino Unido e da França avançavam 0,82% e 1,01%, respectivamente. Nos Estados Unidos, o futuro das bolsas indicava abertura em forte alta, com o Nasdaq futuro subindo 1,07% no pré-market.

 

Renda fixa: Com o otimismo voltando a enxugar a aversão ao risco, a taxa de rendimento dos títulos da dívida americana de dez anos voltou a subir dois pontos-base para 2,439%, na esteira de que uma aceleração industrial mais robusta na maior economia do planeta possa ajudar a mitigar a preocupação com o crescimento americano e, em consequência, diminuir as chances do Federal Reserve fazer um corte na taxa-base de juros do país ainda este ano. Os yields da dívida japonesa, considerada um ativo de refúgio para os investidores em tempos de cautela, operavam na estabilidade.

 

Moedas: O dólar futuro caía 0,18% em relação aos pares com a menor aversão ao risco no mercado levando os investidores a apostarem em ativos considerados menos seguros, como o rublo russo e o rand sul-africano, que subiam 0,60% e 2,03%, respectivamente. O euro e a libra esterlina também avançavam ante o dólar, com altas de 0,21% e 0,41%.

 

Commodities: O contrato futuro do ouro caía 0,26% com o maior apetite por risco enxugando a alta dos ativos de proteção vista na última semana, enquanto os preços do petróleo avançavam 1,57%, no caso do contrato Brent, para US$68,65, com a melhora da perspectiva para o crescimento global e, consequentemente, do consumo de combustíveis fósseis.


Principais notícias corporativas

 

IPOs: Cobiçadas por bancos, empresas dos sonhos rejeitam ir para bolsa (Valor)

 

Hypera: Presidente-executivo afastado da Hypera, Claudio Bergamo, “detona políticos” do MDB em delação premiada, diz coluna Radar, da revista Veja citando fintes.

 

Petrobras: Petrobras abre leque de candidatos à compra da Liquigás (Valor)

 

Taurus: Vendas da Taurus crescem no país com novo governo (Valor)

 

Copel: Copel reforça caixa para relicitação da usina Foz do Areia (Valor)

 

Vale: Grupo de controle da Vale ‘fecha’ chapa para eleição dia 30 (Valor)

 

Gafisa: Gafisa tem dívidas de R$ 347 milhões que vencem em 2019 (Valor)

 

Aéreas: Aérea norueguesa faz voo Rio-Londres com tarifas 45% mais baixas que a média (Globo)

 

Helbor: A Helbor apresentou um prejuízo líquido de R$45,6 milhões no quarto trimestre, uma redução de 57,1% ante as perdas apuradas em igual período em 2017.

 

Banco Indusval: O Banco Indusval registrou um lucro líquido de R$54,7 milhões no quarto trimestre, o equivalente a um salto de 188,7% na comparação anual.

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

08h00 IPC-S – FGV

08h00 Confiança empresarial – FGV

08h25 Relatório Focus – Banco Central

10h00 PMI Industrial (março) – Markit

15h00 Balança comercial (março) – MinEconomia

 

Indicadores internacionais

04h55 Alemanha – PMI Industrial (março); consenso 44,7

05h00 UE – PMI Industrial (março); consenso 47,6

05h30 Reino Unido – PMI Industrial (março); consenso 51

06h00 UE – IPC anual (março); consenso 1,50%

06h00 UE – Núcleo do IPC anual (março); consenso 1,00%

09h30 EUA – Vendas no varejo mensal (fevereiro); consenso 0,30%

09h30 EUA – Núcleo vendas no varejo mensal (fevereiro); consenso 0,30%

10h45 EUA – PMI Industrial (março); consenso 52,5

11h00 EUA – Estoques das empresas mensal (janeiro); consenso 0,30%

11h00 EUA – Gastos de construção mensal (fevereiro); consenso -0,30%

11h00 EUA – PMI Industrial ISM (março); consenso 54,1

 

Teleconferência de resultados

ND PDG Realty

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis