TC Mover
Mover

Mercados se recuperam com expectativa por Guedes e melhora externa

Postado por: TC Mover em 23/01/2019 às 11:14

O mercado brasileiro se recupera do baque da véspera, com a bolsa sustentando valorização acima dos 95.000 pontos e o dólar futuro caindo, embora ainda acima dos R$3,80. Investidores operam na expectativa por palavras animadoras sobre as reformas a partir da entrevista que o ministro da Economia, Paulo Guedes, dará à imprensa nesta tarde em Davos, um dia depois do discurso genérico, mas na direção correta feito pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

As bolsas internacionais também buscavam reagir após o tombo, amparadas em resultados corporativos bem recebidos em Nova Iorque e sinalizações dos governos chinês e japonês em prol de estímulos fiscais para conter a desaceleração econômica. Com isso, o preço do petróleo subia em Londres, favorecendo Petrobras, que puxava o Ibovespa.

 

“Na nossa visão, depois do rali de 12% visto desde dezembro, o próximo mês pode ser um pouco mais desafiador para o Ibovespa. Com um ambiente externo de volatilidade e aversão a risco, acreditamos que para que o Ibovespa volte a ganhar tração, mais detalhes em relação à proposta final a ser enviada ao Congresso, assim como visibilidade em relação à aprovação serão necessários”, avaliam os analistas da XP Investimentos em nota a clientes.

 

Por volta de 10h55, o índice Bovespa exibia alta de 0,54% aos 95.614 pontos, tendo se aproximado dos 96.000 pontos na máxima do dia. As ações de Sabesp também contribuíam para a tendência, com ganhos de 3%, após o secretário estadual da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, reiterar o interesse em privatizar a companhia de água e saneamento em matéria do Valor Econômico. CSN era outro destaque após o BTG Pactual elevar a recomendação ao papel da siderúrgica para compra.

 

No mercado de câmbio, o dólar futuro recuava 0,25% a R$3,810 na B3 depois de atingir na véspera seu maior nível desde 28 de dezembro. E os juros futuros caíam em bloco, com o contrato para vencimento em janeiro de 2020 marcando 6,490%. “Caso o governo tenha sucesso em aprovar uma reforma minimamente suficiente para manter as expectativas de inflação ancoradas, a expectativa de que haja mais aumento de juros ainda este ano deve perder seu apelo e abrir as portas para taxas mais baixas”, observa a equipe da XP.

 

Na agenda interna carregada desta quarta-feira, a prévia da inflação oficial do País, o chamado IPCA-15, ficou em 0,30% em janeiro, abaixo do consenso do mercado. Em paralelo, os dados do Caged, o Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados, mostraram que a economia brasileira criou quase 530 mil empregos em 2018, o melhor resultado desde 2013.

 

(Foto: Sabesp/Divulgação)

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis