TC Mover
Mover

Mercados globais caem após Trump abrir fronte de guerra comercial com o México

Postado por: TC Mover em 31/05/2019 às 12:26

Os índices acionários caíam ao redor do mundo nesta sexta-feira, após o presidente americano, Donald Trump, anunciar a imposição de sobretaxas sobre todas as importações vindas do México até o vizinho conter de forma efetiva o fluxo de imigração ilegal aos Estados Unidos.

 

Em um tuíte na noite de quinta-feira, Trump disse que imporá uma tarifa nos produtos mexicanos de 5% a partir de 10 de junho. Caso o fluxo de imigração ilegal persista, as tarifas subirão para 10% em julho, até chegar a 25% em outubro. A disputa com o México acontece em paralelo a uma escalada de tensões com a China, que pode retaliar a recente imposição americanas de sobretaxas com restrições às exportações de minerais raros – matéria-prima relevante para produtos tecnológicos – aos EUA.

 

BOLSAS: Os futuros dos índices Dow Jones Industrials e S&P500 caíam 1,12% e 1,18%, respectivamente, por volta das 07h25 – em um sinal de que as guerras comerciais de Trump devem desacelerar ainda mais a economia e impulsionar a inflação na maior economia do mundo. O índice pan-europeu Stoxx 600 derretia 1,33% com a notícia. O índice Xangai Composto fechou em queda de 0,24%, refletindo temor com a escalada das tensões entre os EUA e a China. O índice VIX, um popular indicador da volatilidade de mercado, disparou 13,50% por conta da maior aversão ao risco.

 

MOEDAS: O iene se valorizava 0,80% ante o dólar americano, em clássico movimento de aversão ao risco e busca por ativos mais seguros. O peso mexicano derretia 3% ante o dólar americano, menor patamar desde final de março, após o anúncio das tarifas. As moedas de países emergentes na América Latina devem abrir em forte queda, com a sensação de que “ninguém está seguro” na ofensiva comercial de Trump, disse um gestor sediado em Londres. O ouro disparava 0,88% a US$1.298 a onça, maior patamar em 13 pregões.

 

JUROS: O rendimento dos Treasuries de dez anos recuava quase 7 pontos base, a 2,151%, menor patamar desde setembro de 2017. O recuo mais acelerado nos juros dos Treasuries de longo prazo, comparado com as taxas de curto prazo, continuava hoje – sinalizando que o investidor aposta que uma recessão nos EUA é iminente.

 

COMMODITIES: O futuro do minério de ferro recuava pela terceira sessão consecutiva, com analistas do Citigroup dizendo que o rali da commodity está perto do fim. O preço dos contratos futuros dos petróleos Brent e WTI recuava 2,72% e 2,33%, respectivamente, com expectativas de menor demanda global.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis