TC Mover
Mover

Mercados acabam a semana pressionados por tensões comerciais; no radar, balanços e Reforma Tributária

Postado por: TC Mover em 09/08/2019 às 9:13

 

As bolsas caem no último pregão de uma semana marcada por surtos de volatilidade, o ressurgimento das tensões relacionadas à disputa comercial entre os Estados Unidos e a China, os crescentes sinais de desaceleração econômica nos maiores países desenvolvidos e emergentes e o novo normal dos juros negativos na Europa. Pesam hoje a primeira contração trimestral na economia britânica em sete anos, a queda nos preços ao produtor da China e a demora dos americanos para reiniciar negócios com a chinesa Huawei. 

 

Em mais um capítulo do embate entre os governos chinês e americano, a Casa Branca deve adiar qualquer decisão que permita às empresas dos EUA reiniciarem negócios com a Huawei. No momento, elas precisam de uma licença especial para fornecer produtos à polêmica companhia de tecnologia chinesa depois que o governo de Trump acusou a companhia em maio de infringir leis de segurança nacional americana. Ontem, foi noticiado que o presidente chinês Xi Jinping mandou suspender as compras de produtos agrícolas americanos em retaliação pela ameaça de mais sobretaxas.

 

No plano local, as manchetes tocam um assunto caro ao investidor: a Reforma Tributária, que aos poucos vai tomando forma. Pelo que o ministro da Economia Paulo Guedes disse ontem em evento do BTG Pactual, em São Paulo, o projeto terá um tripé formado por mudanças profundas no Imposto de Renda, a criação de um imposto único sobre consumo e serviços e a contribuição previdência sobre movimentações financeiras. O Congresso deve conciliar eventuais diferenças com o governo e ajudar a confeccionar um texto único. 

 

Na agenda de hoje, o Ministério da Economia informa o indicador de governança, e o IBGE divulga a Pesquisa Mensal de Serviços de junho. No exterior, os EUA informam o índice de preços ao produtor e a contagem de sondas Baker Hughes. Na agenda corporativa, siga atento aos balanços: depois do fechamento, MDias Branco e Alpargatas divulgam seus informes. Prepare-se para as teleconferências de mais de dez companhias, entre elas a MRV , que reportou lucro líquido de R$190 milhões no segundo trimestre, da CCR, que ganhou R$347,4 milhões, e da CVC Brasil, cujo lucro líquido superou o consenso. 

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Principais notícias corporativas

 

No balanço mais esperado desta sexta-feira, o balanço da BRF trouxe boas notícias e um lucro líquido de R$191 milhões, acima do consenso e ajudando a reverter trimestres de prejuízos. A receita líquida e o EBITDA ajustado também bateram as estimativas, mostrando que a maior exportadora de frango do mundo “avançou em sua trajetória de recuperação,” disse a administração em fato relevante. 

 

Após registrar a maior alta percentual na sessão de quinta-feira, de 4,35%, a B3 reportou lucro líquido recorrente de R$785,4 milhões, acima do consenso, e revisou sua meta de despesas ajustadas para um intervalo entre R$1,06 bilhão e R$1,1 bilhão. A CCR divulgou lucro líquido de R$347,4 milhões. A CVC informou lucro líquido ajustado de R$41,1 milhões. A Tenda teve alta de 41,4% no lucro líquido, para R$73 milhões. A Burger King Brasil registrou prejuízo líquido de R$600 mil no trimestre, enquanto o consenso aguardava lucro. E a B2W registrou prejuízo líquido de R$127 milhões, acima do consenso.

 

A rede de hospitais D’Or São Luiz comprou 10% das ações da Qualicorp. A gestora de recursos Vinci Partners deve avaliar os ativos de distribuição de gás da Petrobras, segundo a Reuters. A Suzano reduziu sua previsão de capex para o ano, de R$6,4 bilhões para R$5,9 bilhões, citando queda nos gastos de manutenção e expansão. A maior produtora de celulose do mundo teve lucro líquido acima do consenso.

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

05h00 IPC semanal (agosto) – Fipe

09h00 Pesquisa mensal de serviços (junho) – IBGE

 

Indicadores internacionais

03h00 Alemanha – Balança comercial mensal (junho)

05h30 Reino Unido – Produção do setor de construção mensal (junho)

05h30 Reino Unido – Prévia do investimento das empresas trimestral (2T)

05h30 Reino Unido – Prévia do PIB trimestral (2T)

05h30 Reino Unido – Prévia do PIB anual (2T)

05h30 Reino Unido – Produção industrial mensal (junho)

05h30 Reino Unido – Produção industrial anual (junho)

05h30 Reino Unido – Balança comercial mensal (junho)

09h30 EUA – Núcleo do IPP mensal (julho)

09h30 EUA – IPP mensal (julho)

14h00 EUA – Contagem de sondas Baker Hughes

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis