TC Mover
Mover

Mercado realiza lucros após envio da Nova Previdência à Câmara

Postado por: TC Mover em 20/02/2019 às 18:33

O investidor viu mais um clássico “compra no boato e vende no fato” na apresentação da proposta do governo para a reforma da Previdência. O texto rigoroso, prevendo economia pouco acima de R$ 1 trilhão em dez anos, veio em linha com o esperado, o que autorizou um movimento de realização de lucros por parte dos investidores após os ganhos de 10% acumulados pela bolsa no ano até agora.

 

Os ativos brasileiros oscilaram bastante ao longo do dia e na reta final da sessão acabaram fechando no vermelho, sem respaldo das fracas elevações das bolsas em Nova Iorque. O índice Bovespa recuou 1,14% a 96.544 pontos em pregão com volume financeiro de R$14,4 bilhões, acima da média dos últimos dias. O dólar futuro avançou 0,03% frente ao real, cotado a R$3,727 na B3, enquanto os os juros futuros emplacaram aumentos de prêmios de risco, com o contrato para janeiro 2020 subindo três pontos-base a 6,425%.

 

O texto enviado à Câmara dos Deputados representa o melhor cenário de mudança nas regras de aposentadorias para ajudar a corrigir o desequilíbrio fiscal no Brasil. Além da idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, após um período de transição de 12 anos, inclui militares e unifica as alíquotas de RGPS e RPPS. A partir de agora, passará pelo crivo das comissões e precisará de 308 votos para ser aprovada e ir ao Senado.

 

O temor do mercado é que, ao longo desse processo, a proposta seja diluída, reduzindo demasiadamente o efeito fiscal de R$1 trilhão. “Acho que vai ser mais difícil do que o mercado imagina”, disse à TC News uma fonte com bom trânsito em Brasília. Com isso, ruídos políticos tendem a amplificar os temores quanto à articulação para a reforma. O ceticismo parece maior entre os investidores estrangeiros que, pelo terceiro dia seguido, retiraram recursos da B3 até o dia 18 de fevereiro, diminuindo o saldo positivo no ano para R$650 milhões.

 

A tendência negativa do mercado brasileiro se intensificou após a divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve. O documento referente ao último encontro de política monetária do banco central dos Estados Unidos sugeriu que não há consenso quanto ao rumo das taxas de juros neste ano em meio às evidências de maiores riscos à economia. “O Fed sentiu a desaceleração global recente, não vê no curto prazo motivos para alteração na taxa de juros, mas já não cita, por exemplo, a resolução da guerra comercial entre EUA-China como um fator positivo a alterar a atual política”, interpreta a equipe da Infinity Asset.

 

Até o fechamento, os índices em Wall Street reagiam com pequenas altas, com o mercado monitorando também a nova rodada de negociações tarifárias entre EUA e China. Em meio aos receios sobre a saúde da economia mundial, o mercado estará atento na quinta-feira a novos indicadores de atividade industrial na Alemanha, na zona do euro e nos EUA.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis