TC Mover
Mover

Mercado global recua; sinais positivos na política local podem aliviar pregão em dia de Copom

Postado por: TC Mover em 08/05/2019 às 8:53

De Xangai a Frankfurt, a quarta-feira é de quedas nas bolsas e de maior aversão ao risco, porém de forma menos intensa do que na véspera. O investidor impulsiona a procura por ativos mais seguros, como o ouro ou o iene, à medida em que o noticiário relacionado à guerra comercial entre os Estados Unidos e a China traz mais detalhes de como e por que as divergências entre os dois países estão se aprofundando. Matéria da Reuters de hoje disse que a China reescreveu drasticamente os sete apartados do pré-acordo comercial que devia ser assinado com os EUA no final desta semana: segundo a reportagem, os chineses deram para trás nos seus compromissos de mudar as leis que hoje permitem o roubo de propriedade intelectual e segredos comerciais americanos, a transferência forçada de tecnologia dos americanos, de impedir o acesso a empresas americanas e de estimular a manipulação do iuan para manter o país competitivo. Atender a essas demandas de forma abrangente era visto como fundamental para evitar que os EUA fossem para a guerra comercial. Será que o acordo foi para o espaço?

 

Apesar do cenário externo cada vez mais nebuloso, desanimado e volátil, há chances de que os ativos brasileiros mostrem um desempenho menos desfavorável do que ontem. Supreendentemente, eles se mantiveram em linha: os juros finalizaram o dia mistos, com as pontas curta e longa da curva mostrando recuos leves. O dólar terminou o dia quase inalterado – ganho de 0,1%. E a bolsa, que chegou a cair 2,4% no meio da sessão, fechou em queda de 0,65%. Parte disso, segundo Marcos Mollica, gestor do fundo Opportunity, reflete sinais promissores na política local. Exemplos são a aprovação da medida provisória para incentivar os investimentos em saneamento – mesmo que com mudanças na proposta original – e a recriação de ministérios, que deve abrir espaço para apoio político ao governo em meio à tramitação da reforma da Previdência. Em entrevista à RedeTV, o presidente Jair Bolsonaro disse na madrugada de hoje que acha que já existe maioria suficiente para aprovar a reforma na Câmara. Ele sugeriu que uma indicação para o ministério das Cidades, que seria recriado, viria da frente dos prefeitos – indicando que pode acenar para um político tradicional, sob certas condições. E, finalmente, as discussões sobre a reforma na comissão especial da Câmara envolverão um calendário rápido. Para Mollica, “se fosse dar certo, começaria assim.”

 

Mesmo assim, o destaque na agenda de hoje ficará por conta da reunião do comitê de política monetária do Banco Central, que deve manter a taxa básica de juros Selic estável em 6,50%. O investidor precisa prestar atenção a possíveis mudanças no teor do comunicado e nas sinalizações do Copom, como o comitê é conhecido. Além dos números de IGP-DI de abril e de pedidos de hipotecas nos EUA, hoje teremos uma enxurrada de resultados e teleconferências. A Vale solta sua prévia operacional do primeiro trimestre, enquanto a Petrobras explicará ao investidor porque lucrou abaixo do esperado no período. Outras empresas que reportam balanços incluem GPA, Gerdau, CSN, Braskem, e MRV Engenharia.

 

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

As bolsas recuavam ao redor do mundo enquanto o investidor aumentava a demanda por ativos mais seguros, como o ouro ou o iene, em mais um dia do noticiário sobre a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China mostrando que as diferenças entre os dois países estão se aprofundando. O tombo de mercado ofuscava o peso dos balanços corporativos nesta semana, enquanto a aversão ao risco continuava em alta – porém a ritmos menores. Dados de balança comercial chinesa, que vieram abaixo do consenso, também impactaram o sentimento de mercado, de novo lançando dúvidas sobre a dinâmica no crescimento da segunda maior economia do mundo.

 

Bolsa: O contrato futuro do S&P500 caía 0,1% às 06h30, enquanto o Stoxx600 perdia 0,1%, apesar de dados da economia alemã acima das expectativas. O índice Xangai Composto caiu 1,2%, menor patamar em seis semanas, refletindo os dados comerciais da China e o noticiário ao redor do acordo com os EUA. O índice pan-europeu Stoxx600 recuava, em sintonia com as bolsas europeias, enquanto o ETF iShares MSCI Emerging Markets apontava para abertura no vermelho no pregão de hoje. O índice de volatilidade VIX disparou 5,5% no pregão asiático – porém, menos intenso do que os 35% de ontem.

 

Principais notícias corporativas

 

Iguatemi: A empresa de shopping centers Iguatemi apurou um lucro líquido de R$55,4 milhões no primeiro trimestre, um declínio de 4,6% na comparação anual e abaixo do consenso de R$70 milhões.

 

JHSF: A JHSF divulgou um lucro líquido de R$16,9 milhões no primeiro trimestre, revertendo o prejuízo líquido de R$16,1 milhões apresentado no mesmo intervalo no ano passado.

 

BR Properties: A BR Properties apresentou um prejuízo líquido de R$167,8 milhões no primeiro trimestre, ante resultado negativo de R$11,5 milhões registrado um ano antes.

 

Banco Pan: O Banco Pan publicou lucro líquido de R$96,1 milhões no primeiro trimestre, uma expansão de 69,7% na base anual.

 

Somos Educação: A Saber Serviços Educacionais comprou 69,4 milhões de ações ON da Somos Educação ao preço de R$24,55 cada durante oferta de ações realizada na B3 para cancelamento de registro de companhia aberta.

 

Hapvida: Hapvida paga R$ 5 bi por Grupo São Francisco e ação dispara na B3 (Valor)

 

Magazine Luiza: Lucro do Magazine Luiza cai 10,4% no 1º trimestre (Valor)

 

Triunfo: Anac cobra na Justiça seguro de Viracopos (Valor)

 

Braskem: Acordo sobre Braskem avança, mas ação em Alagoas e 20-F estão no radar (Valor)

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

08h00 IGP-DI mensal (abril) – FGV; consenso 0,52%

08h00 IGP-DI anual (abril) – FGV

08h00 IPC-S mensal (abril) – FGV

12h30 Fluxo Cambial Estrangeiro – Banco Central

18h00 Decisão da Taxa de Juros Selic – Copom; consenso 6,50%

 

Indicadores internacionais

00h00 China – Exportações anual (abril); consenso 2,30%

00h00 China – Importações anual (abril); consenso -3,60%

00h00 China – Balança Comercial (abril); consenso US$35 bi

03h00 Alemanha – Produção Industrial mensal (março); consenso -0,50%

08h00 EUA – Pedidos de Hipotecas semanal

11h30 EUA – Estoques de Petróleo Bruto; consenso 1,215 mi

22h30 China – IPC anual (abril); consenso 2,50%

22h30 China – IPC mensal (abril); consenso 0,10%

22h30 China – IPP anual (abril); consenso 0,60%

 

Resultados corporativos

AA Vale (Produção)

AA Gerdau; consenso R$510 mi

AA Metalúrgica Gerdau

DF Arezzo

DF Eneva

DF GPA; consenso R$265 mi

DF MRV Engenharia

DF Engie

DF CSN; consenso R$510 mi

DF JSL

DF Iochpe Maxion; consenso R$70 mi

DF Banco Inter

DF Braskem

DF EDP Energias do Brasil; consenso R$310 mi

DF SulAmerica; consenso R$185 mi

DF Aliansce

DF Valid; consenso R$32 mi

DF Totvs; consenso R$50 mi

DF Wiz Soluções

 

Teleconferência de resultados

10h00 Comgás

10h00 Petrobras

10h00 Sanepar

10h00 TIM Brasil

10h00 Iguatemi

11h00 AES Tietê

11h00 BR Properties

11h00 CPFL Energia

14h00 Gerdau

15h00 JHSF

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis