TC Mover
Mover

Mercado deve manter postura defensiva com julgamento no STF e Trump imprevisíveis

Postado por: TC Mover em 06/06/2019 às 8:59

As bolsas globais apresentam hoje mais um dia de recuperação, mesmo com o investidor limitando sua exposição aos ativos de risco em vista da imprevisibilidade no cenário das disputas entre os Estados Unidos e uma parcela relevante dos seus parceiros comerciais. Hoje, em visita na Irlanda, o presidente americano Donald Trump disse que não houve, até o momento, “progresso suficiente” nas conversas com o governo do México sobre a imposição de sobretaxas até ser resolvido o problema da imigração ilegal. O prazo acaba na segunda-feira. Emissários mexicanos e norte-americanos devem retomar as negociações hoje, mas o mercado não vê muitas chances de um acerto. “Quanto mais altas as sobretaxas, maior o número de empresas que voltarão para os EUA!”, Trump provocou no Twitter.

 

Essa atitude agressiva, que ele já ensaiou com a China e trouxe resultados mistos, pode permear o sentimento do mercado ao longo do dia. Mesmo assim, deve imperar, na mente do investidor, a noção de que os dados econômicos cada vez mais frágeis corroboram o panorama de uma desaceleração, ou de recessão mundial – validando as apostas em uma flexibilização da política monetária nos bancos centrais das maiores economia. A dúvida que paira é se essa flexibilização – seja via cortes na taxa de juros ou, como fez hoje o Banco Central do Povo da China, injetando liquidez adicional no sistema bancário – será permanente e crível.

 

Assim, fique de olho na decisão de taxa de juros na Zona do Euro de hoje cedo. O BCE pode, por intermédio do seu presidente, Mario Draghi, reiterar que manterá uma postura estimulativa e que esperará o que for necessário até a economia e os números de inflação do bloco mostrarem tendências mais positivas. Hoje o PIB da região mostrou desempenho em linha com o consenso no primeiro trimestre. Mantenha os pronunciamentos de Trump, em visita oficial pela Europa, no radar: hoje ele renovou suas ameaças contra a China, reiterando que os EUA estão preparados para impor sobretaxas às importações em US$300 bilhões de produtos chineses, se necessário.

 

No plano local, não se surpreenda se o pregão desta quinta-feira mantiver o mesmo tom do da véspera, onde imperou a realização de lucros e a volta dos ruídos envolvendo a articulação política do governo no Congresso, Houve até notícia de que o governo cogitava uma mudança da Lei do Teto dos Gastos – que o Ministério da Economia negou rapidamente. Deve pesar, primeiramente, o possível adiamento da apresentação do parecer do relator da Reforma da Previdência, Samuel Moreira, na Comissão Especial da Câmara, para a semana que vem. Com um placar de 2 a 2, o Supremo Tribunal Federal também retoma a sessão suspensa ontem sobre a exigência de aval do Congresso e de realização de licitação pública nas operações de venda do controle acionário de estatais. Uma decisão adversa – ou seja, que instituía aval congressional nas privatizações – pode impactar as ações de empresas como a Petrobras e a Eletrobras, que ontem despencaram.

 

Além do julgamento da Lei das Estatais no STF, o Senado terá sessão extraordinária para a votação do projeto de lei do Marco do Saneamento Básico. Entre os indicadores, serão divulgadas as vendas de automóveis no Brasil. Fique de olho nos discursos de dois diretores do Federal Reserve e na publicação dos pedidos semanais de seguro-desemprego e de balança comercial nos Estados Unidos – que sempre trazem alguma volatilidade – assim como dos detalhes da viagem do presidente Jair Bolsonaro o do ministro da Economia, Paulo Guedes, à Argentina. No país vizinho, eles deverão se reunir com as cúpulas dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, assim como com lideranças empresariais.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

Os principais índices europeus e americanos avançavam nesta quinta-feira, a despeito dos recuos vistos em algumas bolsas asiáticas, à espera de sinais mais concretos de flexibilização da política monetária nos países desenvolvidos e cautela crescente na esteira da piora nas tensões comerciais e geopolíticas ao redor do mundo. Com o prazo de 10 de junho para a imposição de sobretaxas americanas a produtos mexicanos chegando, os mercados ficam atentos aos pronunciamentos do presidente americano Donald Trump, em visita oficial pela Europa, em relação aos vínculos comerciais com o país vizinho e a China.

 

Bolsas: Os futuros dos índices Dow Jones Industrials e S&P500 subiam 0,25% e 0,26%, por volta das 07h35, estendendo os ganhos desta semana, com os investidores mantendo apostas que o Federal Reserve vai reduzir sua taxa-alvo básica de juros pelo menos duas vezes antes do final do ano. O índice pan-europeu Stoxx600 subia 0,61%, quarta alta seguida, após o PIB da União Europeia crescer em linha com o consenso. Já o índice Xangai Composto fechou em queda de 1,13% e atingiu seu menor patamar em quatro meses, com investidores receosos com a disputa comercial EUA-China. Sinal de que o investidor deve manter a cautela no pregão de hoje, o índice de volatilidade VIX avançava 0,63%.

 

Principais notícias corporativas

 

Caixa Econômica: Caixa corta juro e renegocia financiamentos de imóveis (Valor)

 

Fiat Chrysler: Sem apoio francês, Fiat retira oferta de fusão com Renault (Valor)

 

Rede D’Or São Luiz: Rede D’Or busca reduzir custo com emissão de título (Valor)

 

Fundos I: Novo ETF promete proteção contra riscos da guerra comercial (Valor)

 

Fundos II: Fundos acirram disputa por compra de ativos de saúde (Valor)

 

Tecnisa: Tecnisa negocia com bancos soluções de capitalização (Valor)

 

Operadoras: Preço de licença 5G gera expectativa (Valor)

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

10h30 Vendas de veículos mensal (maio) – Anfavea

10h30 Produção de veículo mensal (maio) – Anfavea

 

Indicadores internacionais

03h00 Alemanha – Encomendas à indústria mensal (abril)

06h00 UE – Variação no emprego anual (1T)

06h00 UE – Variação no emprego trimestral (1T)

06h00 UE – PIB trimestral (1T)

06h00 UE – PIB anual (1T)

08h45 UE – Taxa básica de juros – BCE

08h45 UE – Taxa marginal de cedência – BCE

08h45 UE – Taxa de facilidade permanente de depósito – BCE

09h30 EUA – Pedidos iniciais por seguro-desemprego

09h30 EUA – Balança comercial mensal (abril)

09h30 EUA – Custo unitário da mão de obra trimestral (1T)

20h30 Japão – Gastos domésticos mensal (abril)

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis