Mais de 120 mil investidores recebem R$9 bilhões com vencimento no Tesouro Direto - TradersClub
TC News
News

Mais de 120 mil investidores recebem R$9 bilhões com vencimento no Tesouro Direto

Postado por: TC News em 15/05/2019 às 9:39

O Tesouro Direto paga nesta quarta-feira o maior vencimento de títulos públicos da história do programa: serão, ao todo, pagos pouco mais de R$9 bilhões para aproximadamente 120 mil investidores pessoas físicas – que analisam se deverão reinvestir o dinheiro em títulos públicos ou em outros instrumentos agora que a taxa de juros deve se manter nas mínimas históricas por um tempo maior do que o esperado.

 

 

Os vencimentos são de Notas do Tesouro Nacional série B, as chamadas NTN-Bs, que foram lançadas em 2013 e são comumente conhecidas como títulos Tesouro IPCA+. Segundo o Tesouro Nacional, os títulos tiveram uma rentabilidade bruta de 64% nos seis anos que estiveram no mercado, comparada com uma inflação acumulada de 40%. O vencimento deve gerar, assim, lucros significativos para quem investiu nesses títulos lá trás – e o interrogante de onde aplicar esse dinheiro.

 

 

Existe um incentivo maior para o investidor não sair do Tesouro Direto, disseram contribuidores TC como o gestor Sérgio Machado, da SF2 Investimentos. O Tesouro Direto ampliou o limite de compras, que atualmente é de R$1 milhão por mês, para o montante máximo acrescido do valor dos vencimentos em maio. “É uma forma de dizer ao investidor para ficar”, disse um gestor de renda fixa.

 

Mas, para quem deseja diversificar seus investimentos, alguns planejadores financeiros e gestores recomendam olhar para debêntures, certificados de recebíveis do agronegócio ou imobiliários, títulos atrelados à inflação mais curtos e ações. No primeiro caso, os fundos de debêntures incentivadas – que financiam projetos de infraestrutura – podem ser uma alternativa interessante, pois são isentos de imposto de renda e as taxas de administração anuais não superam o meio ponto percentual.

 

 

Com um cenário político e externo de muitas incertezas, contribuidores TC também ressaltam a alternativa de se investir em Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs) ou imobiliários (CRIs), assim como fundos imobiliários, que estão na moda. Com a crescente expectativa de que a taxa Selic possa ser objeto de novos cortes nos próximos meses na esteira de uma economia frágil, o ambiente para a bolsa tende a melhorar – razão pela qual investidor busca maior risco para obter um maior retorno. Num cenário de aprovação da reforma da Previdência, a renda variável torna-se a classe de ativo mais cobiçada para o investidor lucrar, explicam contribuidores TC como os traders Israel Massa e Bruno Peña.

TC News Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis