TC Mover
Mover

Investidor se apoia em notícias locais e bolsa sobe; dólar recua

Postado por: TC Mover em 18/07/2019 às 14:36

Após passar a manhã à espera de novidades sobre a liberação de saques do FGTS e do PIS/Pasep, o investidor inicia a tarde mais cauteloso. Por volta de 12h45, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse a jornalistas que o governo só irá anunciar formalmente a liberação dos saques na quarta ou quinta-feira da semana que vem, e que a medida não terá impacto financeiro sobre o setor imobiliário. Ainda em Brasília, o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, informou que a estimativa de economia fiscal gerada pela reforma foi reduzida para R$800 bilhões na próxima década após as mudanças feitas pelos deputados em plenário – cerca de R$300 bilhões a menos que a proposta original do governo.

 

No exterior, o clima de aversão ao risco ainda impera. As bolsas europeias fecharam a sessão em queda e as americanas recuam. Nos Estados Unidos, a temporada de resultados corporativos pesa sobre o índice e leva o Dow Jones Industrials ao terceiro dia de perdas. Além disso, as incertezas sobre as disputas comerciais entre o país e a China, que tiveram mais episódios negativos nos últimos dias com as falas de Donald Trump, deixam o mercado ainda mais na defensiva.

 

O número de pedidos de seguro-desemprego nos EUA, divulgado nesta manhã, veio em linha com o consenso, com um total de 216 mil. Mesmo assim, trouxe mais volatilidade aos mercados, já que o investidor teme que o mercado de trabalho dos EUA leve o Federal Reserve a rever a decisão de cortar os juros na reunião de 31 de julho. As tensões comerciais e a cautela com a temporada de balanços no hemisfério Norte só têm aumentado o ruído, levando diversos bancos centrais, como os da Coréia do Sul e da Indonésia fizeram hoje, a reduzir os juros básicos das suas economias.

 

Na B3, os bancos lideram os ganhos do índice Bovespa, apesar de terem reduzido após o adiamento da liberação dos recursos para o FGTS. O Ibovespa sobe 0,19% às 13h30, a 104.047 pontos. As quedas de Vale e das ações da Petrobras, que lideram as perdas, impedem que o índice tenha melhor desempenho. O câmbio e os vencimentos mais longos dos juros operam em queda. O dólar cai 0,48%, a R$3,749. O DI para 2027 recua 2 pontos-base, a 7,290%, enquanto o para janeiro próximo sobe 1 ponto-base, a 5,710%.

 

As ações de MRV, Tenda e Direcional operam no azul no pregão de hoje, com a primeira subindo 2,43%. Para analistas do Itaú BBA, o governo “ainda não determinou oficialmente as condições de retirada do FGTS ou o tempo de retirada dos recursos, sugerindo que ainda poderia haver espaço para alguma diluição” – o que é positivo para essas companhias. Para Pedro Tuesta, economista-chefe para a América Latina na Continuum Economics, o pacote a ser aplicado ajuda a “ocupar o vazio deixado pela pausa na aprovação da Nova Previdência”, o que é positivo para a imagem do governo.

(Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis