TC Mover
Mover

Investidor foca no payroll americano enquanto digere semana turbulenta

Postado por: TC Mover em 05/04/2019 às 8:41

As bolsas europeias e os índices futuros das bolsas em Nova Iorque operam no azul, à espera dos dados do relatório de emprego não-agrícola dos Estados Unidos hoje. A expansão acima do consenso da produção industrial alemã e o pedido da premiê britânica, Theresa May, para adiar a saída do Reino Unido da União Europeia para 30 de junho dão suporte ao desempenho dos índices referência em Londres, Frankfurt e Paris. Para o relatório de emprego nos EUA, comumente conhecido como payroll, a expectativa é de criação líquida de 175 mil vagas em março, puxando a taxa de desemprego americana levemente para baixo, a 3,7%, e mantendo os ganhos salariais por hora estáveis na base anual. Nesse cenário, se confirmaria uma recuperação no mercado de trabalho do país, após a criação de 20 mil postos em fevereiro.

 

Dependendo da surpresa e da intensidade dos dados do payroll, poderemos ver alguma volatilidade ou mudança de direção nos preços dos ativos, que hoje mostram maior apetite por risco – mesmo com o pregão na China e em Hong Kong fechado por conta de um feriado. Reforçando o sentimento positivo, o presidente chinês, Xi Jinping, falou ontem em “progressos substanciais” nas conversas comerciais com os EUA e que ele almeja uma conclusão “o mais rápido possível”. O presidente americano Donald Trump acha que, daqui a quatro semanas, o assunto será resolvido.

 

O euro e a libra esterlina avançam ante o dólar americano, graças à solicitação de May quanto ao Brexit, enquanto as moedas de países emergentes também ganham espaço à espera do payroll e as notícias sobre as conversas EUA-China. O petróleo Brent recua levemente do seu maior patamar desde novembro. Tirando o payroll, a agenda está tranquila: assembleia de credores da Avianca Brasil, reunião de empresários e políticos em Campos de Jordão, com a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, e, mundo afora, divulgação do números de sondas de petróleo nos EUA.

 

Já na política local, hoje deve ser um dia para digerir ainda mais a conturbada audiência de Guedes na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, na quarta, e as conversas que o presidente Jair Bolsonaro teve com lideranças de seis partidos políticos ontem. Um cafezinho no gabinete presidencial sempre é bom, especialmente quando o parlamentar sabe que mandatários receosos com o Congresso ficam vulneráveis. Dilma Rousseff pagou caro o preço de ter se reunido, no seu primeiro mandato, com 20 de 594 congressistas. Agora que Bolsonaro decidiu que metade do seu tempo será dedicado a interagir com deputados e senadores, o investidor espera uma tramitação menos acidentada da reforma da Previdência no Congresso. Amanhecerá e veremos: semana que vem, ele se reunirá com os chefes de mais cinco partidos. Esperemos que nem o Twitter do filho Carlos nem um surto involuntário atrapalhem o começo promissor da articulação.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

Os mercados acionários europeus e os futuros dos índices em Nova Iorque avançavam nesta sexta-feira, após falas dos presidentes americano Donald Trump e chinês Xi Jinping confirmando que as disputas comerciais entre os países serão resolvidas dentro das próximas quatro semanas.

 

Bolsas: Com feriado na China, o índice Nikkei do Japão avançou 0,38% no quarto dia consecutivo de altas no país. Na Europa, os índices FTSE, do Reino Unido, e CAC, da França, tinham altas tímidas, enquanto a bolsa de Frankfurt caía 0,05%, ainda seguindo os números da véspera que mostraram a indústria alemã mais fraca que o esperado. Hoje, a produção industrial do país de fevereiro veio em linha com o esperado, mas a expectativa é que a economia da região continue sendo contaminada pela expectativa com o desfecho da guerra comercial sino-americana e pela incerteza em relação ao Brexit, cujo prazo termina na próxima semana. Os futuros dos índices Dow Jones e S&P500 subiam 0,12% e 0,16%, respectivamente, refletindo o otimismo com as conversas comerciais, mas também mostrando cautela com a divulgação do relatório de emprego de março nos EUA.


Principais notícias corporativas

 

Farmacêuticas: Concorrência em todo o setor limita reajuste de preço de medicamentos (Valor)

 

Braskem: Justiça impõe bloqueio de R$ 100 milhões da Braskem (Valor)

 

Marfrig: Uruguai, trunfo da Marfrig na exportação (Valor)

 

Banco do Brasil: BB vende R$ 100 milhões em créditos sob litígio (Valor)

 

Aéreas: Cade deverá barrar eventual compra de fatias da Avianca por Gol e Latam (Folha)

 

Gol: A oferta de assentos da Gol cresceu 4,7% em março na base anual, enquanto a demanda aumentou em 5,5%. Com isso, a taxa de ocupação ficou em 79,2% no mês, com alta de 0,6 ponto percentual na comparação anual.

 

IRB Brasil: Morgan Stanley iniciou a cobertura da ação do IRB Brasil com recomendação overweight.

 

CSN: Analistas da Planner Corretora rebaixaram a ação ON da CSN de compra para venda após a alta recente, e reduziram o preço-alvo do papel para R$11,40

 

Cteep: Os acionistas da Cteep aprovaram a proposta de desdobramento de ações da companhia, na proporção de 1 ação para 4 ações.

 

Agenda do dia

 

Indicadores internacionais

03h00 Alemanha – Produção industrial mensal (fevereiro); consenso 0,50%

09h30 EUA – Relatório Payroll de emprego (março); consenso 175.000

09h30 EUA – Taxa de desemprego (março); consenso 3,80%

09h30 EUA – Salário médio por hora anual (março); consenso 3,40%

09h30 EUA – Ganho médio por hora trabalhada (março); consenso 0,20%

14h00 EUA – Contagem total de sondas – Baker Hughes

16h00 EUA – Crédito ao consumidor (fevereiro); consenso US$18 bi

 

Eventos

N.D. China – Feriado

08h30 Bolsonaro – Café da manhã com jornalistas

10h00 Guedes – Participa da abertura do 18º Fórum Empresarial LIDE

10h00 Campos Neto – Reunião com diretoria do BNP Paribas

11h30 BC – Leilão de até 5.350 contratos de swap cambial

14h00 Avianca – Assembleia de credores

14h30 Bolsonaro – Evento de inauguração da Ouvidoria da Presidência da República

15h00 Guedes – Reunião com Susana Leite Ribeiro Cordeiro Guerra, presidente do IBGE

15h30 Campos Neto – Reunião com diretoria do Santander Brasil

16h00 Guedes – Reuniao com Carlos Langoni, diretor do Centro de Economia Mundial da FGV

16h30 EUA – Discurso de Raphael Bostic, presidente da Fed de Atlanta

16h30 Bolsonaro – Reunião com Walton Alencar Rodrigues, ministro do Tribunal de Contas da União

17h00 Guedes – Reunião com Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis