TC Mover
Mover

Ibovespa se anima com Caged acima do consenso; Nova Iorque sobe com menor tensão EUA-China, à espera do affair Trump-Ucrânia

Postado por: TC Mover em 25/09/2019 às 18:47

O investidor local se animou na tarde de hoje com dados de geração de emprego no Brasil em agosto, que mostram que a economia pode estar se reanimando, como disse o analista político da Idealpolitik e membro experiente do TC, Leopoldo Vieira. O país teve o quinto mês seguido de saldo positivo e o melhor número para um mês de agosto desde 2013. A bolsa brasileira, que caía, virou e passou a operar em terreno positivo. Ajudou também o otimismo em relação à disputa comercial entre Estados Unidos e China, após o presidente americano, Donald Trump, dizer que um acordo comercial com a China pode ocorrer “mais cedo do que vocês imaginam”.

 

A declaração de Trump deu o impulso necessário para que as bolsas virassem em Wall Street e passassem a subir, ofuscando o pessimismo reinante até então com a história do impeachment do presidente dos EUA. Esse otimismo com a guerra comercial não significa, no entanto, que o mercado tenha deixado de monitorar o assunto do impeachment. Entretanto, as transcrições da conversa entre Trump e o presidente Ucraniano Volodymyr Zelenskiy, divulgada hoje, embora mostrem que o líder americano tenha pedido para Zelenskiy “olhar” a questão envolvendo Joe e Hunter Biden, não mostram vinculação do pedido a alguma ameaça de não enviar dinheiro à Ucrânia.

 

Em Brasília, o ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência na Comissão Mista de Orçamento, confirmou que entregará a proposta de Reforma Tributária do governo na semana que vem. Ele também disse que, após a conclusão da Reforma da Previdência, o próximo desafio na área econômica serão mudanças nas regras do Pacto Federativo, para permitir que os recursos orçamentários possam ser desvinculados de despesas específicas A audiência foi suspensa após mais um bate-boca entre o ministro e um parlamentar da oposição.

 

O Ibovespa fechou em alta de 0,58%, a 104,480 pontos, com volume negociado de R$10,5 bilhões. O dólar fechou em queda, após ter subido consideravelmente ao longo da manhã, com recuo de 0,32%, a R$4,150. A curva de juros voltou a enxugar prêmio de risco em todos os vencimentos. Entre os eventos da quinta-feira, o Banco Central divulga o Relatório Trimestral de Inflação pela manhã, seguido por coletiva de imprensa do presidente da autarquia, Roberto Campos Neto, para comentar os dados. À tarde, o Tesouro Nacional divulga a dívida pública de agosto, também seguido de coletiva de imprensa.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis