TC Mover
Mover

Entre releituras e temores, mercado deve repercutir Guedes na CCJ e conversas EUA-China

Postado por: TC Mover em 04/04/2019 às 8:55

A política local deve pautar o pregão desta quinta-feira na bolsa de São Paulo, enquanto o investidor presta atenção nos desdobramentos da rodada de conversas entre os Estados Unidos e a China e nos números semanais de seguro-desemprego americano. Enquanto o mercado torce por um desfecho na guerra comercial, obstáculos sérios – especificamente os mecanismos de cumprimento dos acordos e o prazo de implementação deles – deixam o cenário mais propício para realizações ou busca por proteção. Assim, as bolsas europeias e os futuros dos principais índices acionários americanos recuam hoje cedo, enquanto a aversão ao risco, marcada por uma maior procura por ativos considerados como um porto seguro, cresce.

 

O presidente dos EUA, Donald Trump, deve se reunir hoje com o vice-premiê chinês, Liu He, na Casa Branca e, mesmo que um anúncio de uma cúpula ainda este mês com o presidente da China, Xi Jinping, seja possível, há um longo caminho a ser percorrido até o acordo. A China já sinalizou que isso depende de os EUA tirarem as sobretaxas impostas a seus produtos; já os EUA querem garantias de que haverá proteção à propriedade intelectual e ao capital americano. Outros pontos relevantes: o corte de taxa de juros na Índia com viés neutro decepcionou o mercado, enquanto as encomendas à indústria alemã muito abaixo deixam o clima mais carregado lá fora. Os dados de emprego americano, às 09h30, horário de Brasília, podem adicionar alguma volatilidade.

 

No campo local, a agenda de divulgações traz vendas mensais em supermercados para fevereiro e os dados do setor automobilístico em março; no campo político, o presidente Jair Bolsonaro iniciará uma rodada de conversas com partidos de centro e de centro-direita a partir de hoje, para integrar a base aliada no Congresso. Os presidentes do PSDB, MDB, PP, DEM, PSD e PRB devem tratar do assunto governabilidade com ele – palavra tabu no dicionário bolsonarista – e de apoio para aprovar a reforma da Previdência. Bolsonaro prometeu que vai “jogar pesado” na proposta. Porém, se suas amostras de apoio forem tão mornas quanto o apoio que ele e seu partido deram ao ministro da Economia, Paulo Guedes, na audiência deste último na Câmara na tarde de ontem, é melhor o mercado manter a cautela.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

As bolsas europeias e asiáticas operavam em dissonância após dados da indústria alemã, divulgadas nesta madrugada, mostrarem uma queda brusca de 4,2% na produção industrial de fevereiro, contra o consenso de alta de 0,10%. O pré-market americano era contaminado pela forte queda na Europa, enquanto a Ásia fechou com tom levemente otimista pela reta final das discussões entre Estados Unidos e China.

 

Bolsas: O índice Xangai Composto subiu 0,94% nesta madrugada, no terceiro dia consecutivo de altas robustas. O índice Nikkei, do Japão, acompanhou levemente o desempenho, com alta de 0,05%, seguindo o otimismo do mercado com o que a mídia americana tem especulado como a provável última reunião entre representantes comerciais chineses e americanos antes do acordo que pode encerrar a guerra comercial de ambos os países. Na Europa, as bolsas caíam, em reação aos dados da indústria alemã, que colocam maior preocupação sobre o estado da economia mundial. O índice DAX, da Alemanha, perdia 0,07%. O desenrolar do Brexit pressiona o índice FTSE, de Londres, após o Parlamento propor mais um adiamento para o prazo final da saída do Reino Unido da União Europeia.


Principais notícias corporativas

 

Neoenergia: Neoenergia analisa plano de oferta pública inicial de ações

 

Concessões: Concessão de Congonhas entra na lista de prioridades da Votorantim (Folha)

 

Montadoras: Guedes nega a montadoras rever livre-comércio com o México (Folha)

 

Light: Decepção com ICMS derruba ações da Light (Valor)

 

Petrobras: Controles na Petrobras foram deficientes (Valor)

 

IMC: IMC negocia áreas em postos de gasolina (Valor)

 

Multiplus: Multiplan e Outback viram sócios da Delivery Center (Valor)

 

TIM: TIM troca CEO e o conselho no Brasil (Valor)

 

Concessionárias: Pedágios podem ter tarifa menor antes da duplicação de rodovias (Valor)

 

Odebrecht: Odebrecht cumpre exigência de empréstimo (Valor)

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

11h00 Vendas em supermercados mensal (fevereiro) – Abras

11h20 Produção de veículos mensal (março) – Anfavea

11h20 Vendas de veículos mensal (março) – Anfavea

 

Indicadores internacionais

03h00 Alemanha – Encomendas à indústria mensal (fevereiro); consenso 0,10%

03h15 Índia – Decisão da taxa básica de juros; consenso 6,00%

09h30 EUA – Pedidos iniciais por seguro-desemprego; consenso 217 mil

16h00 Argentina – Produção industrial anual (fevereiro)

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis