Em dia de agenda tranquila, mercado olha para reunião Trump-Liu
TC News
News

Mercado olha para reunião Trump-Liu, balanços e noticiário político

Postado por: TC News em 22/02/2019 às 8:22

O mercado internacional opera no azul à espera dos desdobramentos das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China – uma semana antes de vencer o prazo para que a guerra comercial recrudesça. O presidente dos EUA, Donald Trump, receberá hoje o vice-premiê chinês e principal emissário comercial do país asiático – um sinal de progresso nas conversas.

 

Como explicaremos mais para frente, o mais importante desta reunião não é a costura de uma solução definitiva, mas a confecção de uma série de documentos sobre diversos temas controversos. Há a possibilidade de que Trump estenda o prazo de 1º de março para que as negociações atinjam soluções abrangentes e duradouras. As manchetes sobre o tema devem impactar o sentimento e adicionar – ou mitigar – qualquer volatilidade ao longo do pregão.

 

Não perca de vista o noticiário político e financeiro no Brasil. Várias manchetes apontam para a necessidade do governo de dar um cavalo de pau na forma como articula sua relação com o Congresso antes das discussões sobre a reforma da Previdência começarem. É um consenso convicto de que haverá reforma; o que ainda não se sabe com certeza é como o governo vai conseguir a adesão de mais de 308 votos entre os deputados para mandar a reforma ao Senado.

 

Também fique de olho na enxurrada de resultados de ontem, que inclui nomes como Magazine Luiza, Suzano, CVC Brasil e B3, nas mudanças regulatórias em curso – relaxamento de normas para que o governo venda ações de estatais, entre outras – e na reação do presidente Jair Bolsonaro à associação Embraer-Boeing. Analisamos todos esses pontos mais abaixo.

 

A agenda econômica traz poucas novidades: divulgação do índice de confiança do consumidor no Brasil, nada nos EUA e, na Europa, dados de inflação ao consumidor na Zona do Euro. Por volta do meio-dia, teremos discurso do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC


As ações chinesas fecharam a semana em alta de 5,4%, a maior desde novembro de 2015, com otimismo de que a negociação com o governo americano pode acontecer em ritmo mais acelerado do que o previsto. A sexta-feira deve ser de tom positivo nos mercados ao redor do globo, mesmo após uma semana marcada pela volatilidade.

 

Ainda assim, mesmo com o arrefecimento da aversão ao risco no front comercial, os receios com uma possível desaceleração econômica dos países desenvolvidos em 2019 continuam a manter os mercados longe de qualquer rali – o contrato do ouro, sintoma de cautela, apesar de operar em queda hoje, continua no seu maior patamar desde abril de 2018. Para os ativos emergentes, as conversas EUA-China dão um alívio momentâneo, mas a cautela persiste.

 

Na Europa, os indicadores de inflação da Zona do Euro vieram comportados, em linha com o esperado – o IPC da região acumulou alta anual de 1,4% em janeiro, apesar de uma queda de 1% na comparação mensal. Hoje a agenda de dados é, mais uma vez, esvaziada. Fique de olho em possíveis anúncios do presidente Trump após a reunião com o vice-presidente chinês.

 

Principais notícias corporativas


Magazine Luiza: A Magazine Luiza divulgou um lucro líquido de R$189,6 milhões no quarto trimestre, um aumento de 14,5% na comparação anual.

 

Suzano: A Suzano apresentou um lucro líquido de R$1,46 bilhão referente ao quarto trimestre, o que representa salto de 308,5% na base anual.

 

B3: O lucro líquido da B3 no quarto trimestre chegou a R$583 milhões, alta de 13% na base anual.

 

B3 II: A B3 revisou a projeção de endividamento para este ano, saindo de 1 vez dívida total sobre EBITDA para 1,5 vez dívida total sobre EBITDA. Em adição, a companhia revisou a projeção para distribuição de proventos para de 120% a 150% – anteriormente, era entre 70% a 80%.

 

Natura: A Natura registrou um lucro líquido de R$381,7 milhões no quarto trimestre, um salto de 48,7% na comparação com igual período em 2017.

 

JHSF: A JHSF publicou um lucro líquido de R$80,1 milhões no quarto trimestre, salto de 404,8% em relação a um ano antes.

 

Multiplan: A Multiplan apresentou um lucro líquido de R$112,6 milhões no quarto trimestre, o que representa um declínio de 16,5% na base anual.

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

08h00 Confiança do consumidor (fevereiro) – FGV

 

Indicadores internacionais

04h00 Alemanha – PIB trimestral; consenso 0,00%

04h00 Alemanha – PIB anual; consenso 0,90%

06h00 Alemanha – Expectativa de negócios

06h00 Alemanha – Índice Ifo de clima de negócios

07h00 UE – IPC mensal (janeiro)

07h00 UE – IPC anual (janeiro); consenso 1,40%

07h00 UE – Núcleo IPC mensal (janeiro)

07h00 UE – Núcleo IPC anual (janeiro); consenso 1,10%

08h00 Reino Unido – Pesquisa CBI de varejo (janeiro)

16h00 EUA – Contagem de sondas Baker Hughes

 

Teleconferências de resultados

09h00 B3

09h30 Natura

10h00 Suzano

11h00 Hypera, Magazine Luiza, Multiplan

12h00 Localiza

14h00 Gerdau, Metalúrgica Gerdau

14h30 CVC

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

TC News Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis