TC Mover
Mover

Dólar futuro oscila após demissão de ministro, cenário externo e otimismo com reforma

Postado por: TC Mover em 19/02/2019 às 10:37

O mercado futuro de câmbio oscila nesta terça-feira, refletindo cautela e pouca visibilidade quanto à novas rodadas de negociações entre os Estados Unidos e a China para acabar com a guerra comercial, a antessala da apresentação do projeto da reforma da Previdência no Congresso e os reflexos da demissão do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno na noite de ontem.

 

Às 9h50, a moeda norte-americana recuava 0,37%, a R$ 3,72250 na ponta de venda. O volume acelerava perto da primeira hora de negociações, após o dólar abrir em alta ante o real e superar os R$3,744. Operadores e contribuidores TC destacaram que as discussões entre EUA e China, que devem ser retomadas hoje a pouco mais de dez dias do prazo final, devem progredir, mas que divergências mais profundas, especificamente sobre o assunto transferência de tecnologia e proteção da propriedade intelectual, podem surgir. Os futuros dos índices acionários americanos recuam, em linha com as bolsas europeias, em sinal de cautela.

 

O mercado de juros opera em queda, o que pode ter puxado o dólar futuro para baixo, de acordo com o contribuidor Israel Massa, em meio à expectativa pelo envio ao Congresso do texto da reforma, amanhã, por parte do presidente Jair Bolsonaro. Hoje será um dia de muito trabalho no Congresso, com a apresentação do projeto anticrime e a inclusão, na pauta de votação da Câmara dos Deputados, do projeto de securitização de dívidas, que permite à União, Estados e municípios cederem créditos de dívidas a receber.

 

Segundo nosso contribuidor Leopoldo Vieira, CEO da IdealPolitik, a iniciativa das dívidas estaduais, que integra o pacote de socorro aos estados em troca de apoio à reforma, pode testar o grau de comprometimento das bancadas estaduais com as mudanças ao regime previdenciário.

 

O índice futuro do Ibovespa subia 0,49%, após abrir em queda, na contramão do exterior. As manchetes do dia sinalizam que o dia pode ter volatilidade em todos os fronts: há temor de que um alto executivo da Vale tenha um mandado de prisão expedido esta semana; o governo pode confirmar o possível adiamento da privatização da Eletrobras para 2020; a Petrobras, com medo de uma repetição da tragédia de Brumadinho em alto mar, deve começar a descomissionar plataformas velhas este ano.

 

(Foto: Congresso/ Agência Brasil)

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis