Demora na reunião Trump-Xi deve deixar pregão volátil
TC News
News

Demora na reunião Trump-Xi deve deixar pregão volátil; bolsa na expectativa dos 100 mil pontos

Postado por: TC News em 14/03/2019 às 8:57

O mercado acorda hoje com um cenário externo mais conturbado: dados fracos da indústria chinesa, queda na projeção de crescimento do PIB da Alemanha, mais uma votação sobre a saída do Reino Unido da União Europeia e a notícia da Bloomberg News de que a reunião entre os presidentes dos Estados Unidos e a China para sacramentar a resolução das suas disputas comerciais só deve acontecer em abril, pelo menos. Qual a consequência imediata para o investidor no Brasil? Possivelmente que o Ibovespa vai suar mais um pouco para atingir os famigerados 100 mil pontos nesta quinta-feira.

 

Bancos e fundos de investimentos locais, assim como traders e investidores individuais Brasil afora, têm focado suas atenções no andamento do projeto da reforma da Previdência, que ontem formalmente começou seu ritual de aprovação na Câmara dos Deputados. A esperança é que a redação do texto das mudanças do regime de aposentadorias para os militares, que foi entregue pelo Ministério da Defesa à equipe econômica ontem, permite que os trâmites de discussão sejam acelerados na CCJ. A notícia de que a pasta tinha finalizado o texto deu uma puxada na bolsa que levou a pontuação intradia do índice aos 99.267 pontos.

 

Hoje matéria do Valor Econômico, baseada em uma sondagem com parlamentares, disse que o texto da reforma enviado pelo governo à Câmara tem o apoio incondicional de 95 deputados federais. Outros 54 concordam com grande parte da redação, mas têm restrições a aspectos da proposta. Assim, se fosse levada hoje à votação em plenário, a proposta teria, pelo menos, 149 votos favoráveis. O governo tem amplo espaço para buscar apoio, porque 220 deputados são classificados como indefinidos, disse o jornal. Outros 144 deputados são contrários à reforma. O mercado pode reagir às informações.

 

As ações asiáticas e europeias andavam em direções diferentes, enquanto os futuros dos índices acionários em Wall Street passaram a cair com a matéria da Bloomberg que diz que os presidentes Donald Trump e Xi Jinping não se encontrarão para assinar um acordo comercial até o próximo mês, se acontecer. Trump disse ontem que não está com pressa de assinar nada.

 

Hoje fique de olho nas vendas no varejo de janeiro, os dados de seguro-desemprego semanais nos EUA e os preços de imóveis na China. O presidente Jair Bolsonaro vai ter uma série de reuniões com deputados e senadores de distintas siglas, com o ministro da Defesa e Conselho de Governo.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC


As bolsas europeias e asiáticas operavam em direções opostas nesta quinta-feira, seguindo, respectivamente, a rejeição no Reino Unido de um Brexit sem acordo e dados mais fracos para a indústria chinesa no último mês.

 

A libra esterlina caía contra o dólar americano após a valorização forte no final da tarde de ontem, quando o Parlamento britânico decidiu rejeitar a ideia de uma saída desordenada da União Europeia. Hoje os membros da casa votam um possível adiamento do prazo final para a separação, marcado para 29 de março. Apesar da breve comemoração nos mercados europeus, analistas alertam que a recusa por um Brexit sem acordo não elimina o risco de isso acontecer.

 

Na Ásia, a produção industrial chinesa, que teve alta de 5,3% em fevereiro, a menor dos últimos 17 anos, levou o índice Xangai Composto a cair 1,20% no pregão desta madrugada. A preocupação com a desaceleração do gigante asiático, aliada à espera pelo acordo entre Estados Unidos e China, deve levar a principal bolsa chinesa a fechar na terceira semana de queda consecutiva.


Principais notícias corporativas


Braskem: A Braskem registrou um prejuízo líquido de R$179 milhões no quarto trimestre, revertendo o lucro líquido de R$313 milhões apurado em igual período em 2017.

 

B3: A B3 divulgou que o volume financeiro médio diário no segmento Bovespa cresceu 29,5% em fevereiro na base anual, totalizando R$16,9 bilhões.

 

Eneva: A Eneva anunciou que Jerson Kelman foi eleito como presidente do conselho de administração da companhia, em substituição a José Aurélio Drummond Jr., que ocupava o cargo interinamente, e passa a atuar como vice-presidente do conselho.

 

Gafisa: A Gafisa alterou a data de divulgação dos resultados do quarto trimestre para 28 de março, após o fechamento do mercado.

 

Latam: Latam corta investimento e ‘reforma’ aviões (Valor)

 

Oi: A Oi, agora, é de 4 fundos estrangeiros (Valor)

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

09h00 Vendas no varejo mensal (janeiro) – IBGE

09h00 Vendas no varejo anual (janeiro) – IBGE

 

Indicadores internacionais

04h00 Alemanha – IPC mensal (fevereiro); consenso 0,50%

04h00 Alemanha – IPC anual (fevereiro); consenso 1,60%

09h30 EUA – Pedidos iniciais por seguro-desemprego; consenso 225 mil

09h30 EUA – Preços de bens importação mensal (fevereiro); consenso 0,30%

09h30 EUA – Preços de bens exportados mensal (fevereiro); consenso 0,10%

11h00 EUA – Vendas de casas novas (janeiro)

16h00 Argentina – IPC mensal (fevereiro)

22h30 China – Preços de imóveis anual (fevereiro)

 

Resultados trimestrais

AA Azul

AA Embraer

AA Fertilizantes Heringer

DF Rodobens

DF Valid

DF Tupy

DF Unipar Carbocloro

DF BR Malls

DF Lojas Marisa

DF Estácio

 

Teleconferências de resultados

N.D. Fertilizantes Heringer

N.D. SLC Agrícola

10h30 Embraer

12h00 Azul

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

TC News Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis