TC Mover
Mover

Decisão ousada da Vale pode acelerar retomada do papel; Fed, PIB EUA definirão tom do pregão

Postado por: TC Mover em 30/01/2019 às 8:32

Os preços do minério de ferro dispararam na China na madrugada de hoje, na esteira do anúncio da Vale de desativar todas as barragens a montante e reduzir 10% da produção, o equivalente a 40 milhões de toneladas. A decisão, vista por analistas e gestores como ousada e na direção correta, remove algumas das incertezas em relação ao futuro dos papéis da companhia, mas não tira o peso do fundamental: até que ponto tudo isso, especialmente o acidente fatal da semana passada na mina de Brumadinho, poderia ter sido evitado com a paralisação dessas barragens? A diretoria da Vale ganhou mais um tempo0 para se manter no comando da companhia com a decisão de ontem – que explicaremos em detalhes abaixo -, mas será difícil remover o lastro reputacional da mineradora por anos.

 

Mas não será a Vale que irá movimentar o pregão de hoje: essa quarta-feira será um dia cheio de eventos e divulgações mundo afora, especialmente nos Estados Unidos, onde teremos, no final da tarde, decisão do comitê de política monetária do Federal Reserve e fala do presidente da autarquia, Jerome Powell. Qual a mensagem? Nossos editores e contribuidores esperam mais um apelo à paciência, já que  Powell deve fugir de falar sobre o ritmo de redução do balanço do Fed. Há prévia de crescimento econômico nos Estados Unidos, pela manhã. Hoje também se inicia o ciclo de dois dias de negociações entre os emissários comerciais dos EUA e da China; a votação de emendas ao acordo do Brexit de ontem também impacta na Europa. Hoje, os resultados corporativos nos EUA podem impactar o sentimento – veja como os números da Apple reanimaram os investidores no after-market em Nova Iorque.

 

Aqui no Brasil, Santander Brasil voltou a surpreender positivamente, com lucro e ROE acima do consenso e nas máximas históricas para um quarto trimestre. A Petrobras ganhou uma difícil batalha legal no Carf, onde recebeu a notícia de que uma multa de R$11,9 bilhões era improcedente. A Braskem pode ser alvo de uma oferta firme nas próximas semanas, enquanto o diretor-presidente da Via Varejo promete se esforçar para recuperar a companhia antes de que o controle dela seja alienado

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

Os mercados globais operavam de lado à espera da decisão de juros do Fed e da chegada do vice premiê chinês Liu He aos Estados Unidos para mais uma rodada de negociações envolvendo a disputa comercial entre os dois países.

 

Enquanto a maioria das bolsas e dos futuros dos índices americanos operavam com comportamento misto, o contrato do ouro chegava ao maior patamar dos últimos oito meses, um sinal da maior aversão ao risco entre os investidores. O rendimento dos títulos da dívida americana de dez anos subia com a expectativa pelo anúncio do Fed e pelo discurso do presidente da autarquia, Jerome Powell, às 17h00, horário de Brasília. A fala do dirigente acontece após a divulgação dos dados do PIB americano do quarto trimestre e a prévia dos números de 2018, todos nesta quarta-feira; nas últimas comunicações, o banco central americano tem defendido que suas decisões estão sendo baseadas nos dados da economia americana. A expectativa é que o PIB do país tenha crescido 2,8% no trimestre passado.

 

Na Europa, os índices acionários também operavam sem direção, um dia após o Parlamento britânico aprovar a emenda que dá poder à May de renegociar os termos do Brexit com a União Europeia – o índice FTSE de Londres subia quase 1% no início desta manhã. Fique de olho na divulgação de dados da economia europeia a partir das 08h00, horário de Brasília, e também no desempenho do petróleo, que ontem disparou com receios pela oferta venezuelana, e do minério de ferro, que disparou com a notícia de que a Vale irá cortar 10% da produção em resposta ao desastre de Brumadinho.


Principais notícias corporativas

 

Multiplus: Multiplus diz que novo laudo de avaliação coloca preço da ação entre R$15,23 e R$16,75.

 

Gafisa: Gafisa diz que GWI reduziu participação na companhia para 49,94%.

 

Eletrobras: A 3G radar informou que passou a deter 14,65% das ações PNB da Eletrobras.

 

Captações: Companhias do país retomam emissão externa (Valor)

 

Petrobras: Partes de bancos e da Petrobras serão vendidas (Valor)

 

Braskem: Negociação da Braskem ganha força (Valor)

 

Eletrobras: Privatização da Eletrobras é uma necessidade, diz presidente da estatal (Folha)

 

Estatais: Governo quer ficar só com Petrobras, Caixa e Banco do Brasil, afirma secretário (Folha)

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

08h00 Índice IGP-M mensal (janeiro)

09h00 Índice de Preços ao Produtor (dezembro) – IBGE

 

Indicadores internacionais

05h00 Alemanha – Preço de bens importados mensal (dezembro); consenso -0,90%

05h00 Alemanha – Clima do consumidor (fevereiro); consenso 10,3

07h30 Reino Unido – Crédito ao consumidor (dezembro)

08h00 UE – Confiança do consumidor (janeiro); consenso -7,9

08h00 UE – Confiança de empresas e consumidores (janeiro); consenso 106,6

08h00 UE – Confiança da indústria (janeiro); consenso 0,4

11h00 Alemanha – IPC mensal (janeiro); consenso -0,70%

11h15 EUA – Empregos ADP (janeiro); consenso 175 mil

11h30 EUA – Prévia PIB trimestral (4T); consenso 2,80%

11h30 EUA – Deflator do PIB trimestral (4T)

11h30 EUA – Núcleo preços PCE

11h30 EUA – Preços PCE

11h30 EUA – Gastos dos consumidores

13h00 EUA – Vendas mensais de moradias pendentes (dezembro)

13h30 EUA – Estoques de petróleo

17h00 EUA – Decisão taxa-alvo Fed; consenso 2,50%

21h50 Japão – Produção industrial mensal (dezembro); consenso -1,90%

22h00 Reino Unido – Confiança do consumidor

23h00 China – PMI manufatura (janeiro); consenso 49,3

23h00 China – PMI não manufatura (janeiro)

 

Resultados trimestrais

A.A. Santander Brasil; consenso R$3,3 bi

A.A. Alibaba; consenso US$1,67/s

A.A. AT&T; consenso US$0,86/s

A.A. Boeing; consenso US$4,58/s

A.A. Goldman Sachs

D.F. Microsoft; consenso US$1,09/s

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis