TC Mover
Mover

Decisão do STF é vitória de Guedes e mercado deve comemorar; no radar, payroll, IPCA e conversas EUA-México

Postado por: TC Mover em 07/06/2019 às 8:56

O Supremo Tribunal Federal decidiu ontem que o andamento do programa de privatizações do governo, que busca levantar mais de R$120 bilhões com a alienação de ativos neste ano, pode prosseguir com subsidiárias e controladas. A Corte formou maioria para aprovar em parte uma liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski em junho passado, condicionando a privatização de estatais ao aval do Congresso e a um processo de licitação. A derrubada dessa liminar deve ser lida pelo investidor como uma vitória do ministro da Economia, Paulo Guedes, que fez, ao longo da semana passada, um périplo pelos escritórios dos ministros do STF para articular a votação e explicar a necessidade do programa de desinvestimentos da Petrobras – principal afetada com a liminar.

 

O investidor já esperava que a Corte retirasse a necessidade de lei específica e mantivesse a exigência da licitação para vender estatais e não subsidiárias – facilitando os planos de privatização de Guedes para sanear as finanças públicas e acabar com mais uma fonte de corrupção. Para alguns especialistas, no entanto, a decisão não libera apenas a venda de subsidiárias, pois o Plano Nacional de Desestatização dá uma autorização genérica para venda de estatais. “A decisão do governo é expressa em decreto que inclui empresas a serem privatizadas,” disse Elena Landau, advogada e economista que liderou os processos de privatização de estatais nos anos 90. “Assim, não há mais empecilho para Guedes vender dezenas de empresas. Só faltará vontade política. Basta um decreto com uma lista de empresas a serem incluídas no programa de privatização.”

 

Assim, esperamos que haja mais um dia de confiança nos mercados de que o Brasil pode dar certo com Guedes no comando da economia. Contudo, é um dia cheio de eventos que potencialmente devem imprimir volatilidade ao pregão: às 09h00, teremos divulgação do número mensal do IPCA de maio, e meia hora depois, o governo americano publicará os dados do relatório de emprego não-agrícola nos Estados Unidos, também do mês anterior. Outro ponto relevante no noticiário de hoje é o andamento das conversas entre os EUA e México que, se bem-sucedidas, podem evitar a imposição de sobretaxas de 5% nos produtos do país centro-americano já a partir da segunda-feira. Ontem, esperanças de um acordo amigável entre os vizinhos e parceiros comerciais deu um gás nas bolsas americanas e ajudou o Ibovespa a fechar acima dos 97 mil pontos.

 

Um payroll ruim é que o investidor precisa para manter a fé na retomada do apetite por risco – na esteira da crescentes apostas na queda dos juros no país antes do final do ano. O consenso espera criação de 180 mil vagas e crescimento do ganho médio por hora de 0,2% no mês; o salário médio por hora pode aumentar 3,20% na base anual. Caso o payroll de maio venha muito ruim, o investidor deve dobrar a aposta em que o Federal Reserve deva reduzir os juros pela primeira vez desde 2008. Na prévia do payroll, conhecido como relatório de empregos ADP, o setor privado adicionou 27 mil empregos não-agrícolas em maio – significativamente menor do que os analistas esperavam e o menor aumento em quase uma década.

 

Fique de olho nas conversas políticas entre a União, o Congresso e os governadores para a inclusão dos Estados na Reforma da Previdência. Em um movimento esdrúxulo e politiqueiro, os governadores do Nordeste emitiram um comunicado com críticas a aspectos fundamentais do projeto. Segundo dois parlamentares relataram à TC News, os governadores devem se reunir na terça-feira para fazer um manifesto público de apoio à reforma. Isso acalmaria parte do Congresso, que vê nos governadores um desejo de se omitir da necessidade de promover a reforma ante suas bases. Se a mensagem de apoio acontecer, o relatório do texto na Comissão Especial da Câmara será apresentado. Guedes tem reuniões com emissários do FMI e do JPMorgan Chase & Co, enquanto Bolsonaro tem cerimônias nas que pode falar uma ou outra coisa sobre as reformas. Fique de olho no noticiário.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

 

Os índices acionários na Europa e os futuros das bolsas americanas avançavam na manhã desta sexta-feira, à espera do resultado do relatório de emprego privado nos Estados Unidos de maio, indicador que pode reforçar as apostas por cortes na taxa de juros de país antes do final do ano. Além do número de vagas criadas no mês, o relatório payroll trará a estimativa da taxa de desemprego e o crescimento do ganho médio por hora trabalhada. O mercado espera uma adição de 175 mil novas vagas de empregos privados não-agrícolas. Um número menor, porém, é esperado após relatório divulgado pela ADP na quarta-feira, usado como prévia do payroll, mostrou geração de 27 mil novos empregos – o menor patamar mensal em nove anos. Os investidores estão precificando mais de 90% de chance de um corte na taxa Fed Funds em setembro. O Banco Central Europeu disse ontem que deverá reagir a qualquer deterioração no cenário para a economia da região – em mais um sinal de afrouxamento do viés de política monetária nos países desenvolvidos.

 

Bolsas: Os futuros dos índices S&P500 e Dow Jones Industrials subiam 0,33% e 0,32%, respectivamente, por volta das 07h50 – apontando para uma abertura no maior nível em quase duas semanas. Comentários do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, de que a imposição de tarifas contra importações mexicanas pode ser adiada, contribuem à alta nos futuros. O índice pan-europeu Stoxx600 subia 0,86%, impulsionado pelos comentários do BCE de ontem. Já o índice Nikkei 225 fechou em alta de 0,53%. Os mercados na China e em Hong Kong não abriram hoje devido feriado. O índice que mede a volatilidade dos ativos, o VIX, cedia 2,45%.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Principais notícias corporativas

 

 

Marfrig: Marfrig busca R$2 bilhões em recursos para fusão com a BRF (Valor)

 

Nubank: O fundo japonês de tecnologia Softbank está em conversas com a Nubank e pode investir US$1 bilhão na companhia, segundo notícia da Reuters citando uma fonte.

 

Odebrecht: Os bancos iniciaram processo de execução da Odebrecht pela Atvos, segundo fontes ouvidas pela Broadcast. Atvos e BNDES já teriam sido comunicados. A Odebrecht entrará com pedido de recuperação judicial somente se os bancos a executarem.

 

Biosev: A Biosev divulgou balanço referente ao quarto trimestre de 2019, registrando receita líquida de R$1,3 bilhão, uma queda de 34,9% na comparação com o mesmo período de 2018.

 

Aliansce: A Aliansce informou que seu conselho administrativo aprovou a combinação dos negócios com a Sonae Sierra.

 

Dow Jones Industrials: Conversas entre os EUA e o México avançam, mercados sobem na esperança de que acordo esteja próximo (Reuters)

 

Hypera Pharma: Delator da Lava-Jato admite que mentiu para proteger companhia (Globo)

 

 

 

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais

08h00 IGP-DI mensal (maio) – FGV

09h00 INPC mensal (maio) – IBGE

09h00 IPCA anual (maio) – IBGE

09h00 IPCA mensal (maio) – IBGE

 

Indicadores internacionais

03h00 Alemanha – Balança comercial mensal (abril)

03h00 Alemanha – Produção industrial mensal (abril)

09h30 EUA – Ganho médio por hora trabalhada mensal (maio)

09h30 EUA – Salário médio por hora anual (maio)

09h30 EUA – Relatório de emprego payroll não-agrícola mensal (maio)

09h30 EUA – Relatório de emprego Payroll privado mensal (maio)

09h30 EUA – Taxa de desemprego mensal (maio)

11h30 EUA – Estoques no atacado mensal (abril)

14h00 EUA – Contagem de sondas Baker Hughes

16h00 EUA – Crédito ao consumidor mensal (abril)

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis