TC Mover
Mover

Copom neutro, Previdência e Vale pressionam mercados futuros

Postado por: TC Mover em 07/02/2019 às 9:46

Os temores quanto à apreciação da reforma da Previdência no Congresso e relatos de que a Vale sabia que a estrutura da barragem da mina em Brumadinho corria o risco de desabar marcam a abertura do pregão desta quinta-feira, em meio a um movimento de cautela no exterior que pressiona o desempenho dos contratos futuros no câmbio, juros e bolsa.

 

Os juros futuros abriram em alta hoje, especialmente os vencimentos de prazos mais curtos, refletindo o comunicado de ontem do comitê de política monetária do banco Central, que afastou de vez a possibilidade de um corte na taxa básica de juros Selic no curto prazo. O câmbio futuro continuou sua escalada ante o real na B3, na esteira de mais um pregão de alta do dólar americano mundo afora.

 

O futuro do Ibovespa abria em alta, quiçá refletindo a expectativa acerca da entrevista dada pelo diretor-presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, ao Valor Econômico, na qual sinaliza a venda de todos os ativos da estatal não relacionados à exploração de petróleo, uma resolução rápida da questão da cessão onerosa e a decisão da Petrobras de sair da Braskem. Isso deve contrabalançar as notícias negativas sobre a Vale, cuja diretoria teme novas prisões de executivos a qualquer momento, segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo. Ontem, foi revelado que a Polícia Federal soube que a consultoria alemã Tüv Süd, que certificou a barragem, tinha alertado a Vale de problemas com sensores e com a estrutura do complexo.

 

O juro com vencimento em janeiro próximo subiu até 9 pontos-base na abertura, mas reverteu um pouco e operava a 6,44% – alta de 6,5 pontos – às 09h10. O dólar futuro avançava 0,20% ante o real, cotado a R$3,7110. O Ibovespa futuro subia 0.48% no mesmo horário, apontando para abertura acima dos 95 mil pontos; ontem o índice perdeu perto de 4 mil pontos e teve seu pior desempenho diário desde maio.

 

Ao longo do dia, o investidor deve reagir ao noticiário sobre a reforma da Previdência. Em entrevista à GloboNews ontem à noite, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que a tramitação da reforma será tratada como prioritária, mas colocou ressalvas em relação aos ritos e à apresentação do projeto de combate ao crime – cuja discussão pode demorar o desfecho da reforma.

 

“As notícias de que a reforma seria proposta através de uma emenda constitucional, um processo normalmente mais demorado, tiram o apetite a risco dos investidores,” disse Jerson Sanlorenzi, da mesa de equities do BTG Pactual Digital.

 

No exterior, o sentimento continua pressionado com mais um sinal de desaceleração econômica vindos da Europa e à espera da decisão de juros no Reino Unido, por volta das 10h00. Teremos também números de seguro-desemprego dos Estados Unidos. As bolsas europeias e os futuros dos índices americanos recuavam, com o Stoxx600 cedendo 0,41% e o futuro do Dow Jones caindo 0,43%. Fique de olho na reunião do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, com a premiê britânica, Theresa May, sobre o Brexit.

 

(Foto: Congresso/Agência Brasil)

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis