TC Mover
Mover

Com exterior em recuperação e menor ruído político, bolsa busca os 101 mil pontos e dólar cai

Postado por: TC Mover em 26/06/2019 às 14:07

O cenário mais positivo para a retomada das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China, esperada para o fim de semana, embasa o pregão desta quarta-feira na B3, com o investidor atento aos desdobramentos sobre a tramitação da Reforma da Previdência.

 

O avanço das bolsas em Nova Iorque, das commodities e de outros ativos de risco e do petróleo ajudam na alta do índice Ibovespa, que busca os 101 mil pontos de novo, e puxa câmbio e juros futuros para abaixo – após uma manhã de volatilidade. O investidor repercute a fala do secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, de que o piloto de uma acordo comercial entre os EUA e a China está “90% completo”, após o presidente americano, Donald Trump, dizer que um acordo “é possível”, mas alertar que, se não sair, haverá alta de sobretaxas às importações chinesas. Os fundos de índices de mercados emergentes regiram bem ao noticiário, com o ETF iShares MSCI Emerging Markets avançando 1,3% em Nova Iorque e o iShares MSCI Brazil, que replica o Ibovespa, subindo 1,12%. O índice VIX de volatilidade caía 0,7%.

 

No plano local, o investidor ficou aliviado com a declaração do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que negociará a inclusão de Estados e municípios no substitutivo da Nova Previdência na comissão especial da Casa, e reiterar que um voto no colegiado ocorrerá entre amanhã e terça-feira. O relator da pauta, deputado Samuel Moreira, não descartou fazer a leitura do seu voto hoje à tarde. Enquanto isso, a indicação de que há votos favoráveis para debater e votar o projeto de autonomia do Banco Central, assim como da proximidade das discussões sobre a Reforma Tributária ajudam a melhorar o sentimento.

 

BOLSA: O índice Bovespa subia 0,91% e voltava aos 101 mil pontos por volta das 14h00, acompanhando o otimismo das bolsas americanas. Itaú PN e Bradesco PN lideravam as altas, subindo 2,16% e 1,20% respectivamente. Petrobras PN vem logo atrás, com alta de 1,20%. Na ponta oposta, JBS ON liderava as perdas, após a subsidiária americana ser alvo de investigação por possível comportamento anticompetitivo.

 

CÂMBIO E JUROS: Câmbio e juros operam voláteis na sessão desta quarta-feira, com os vencimentos de DIs apontando para diferentes direções. O mercado de juros é pautado pelo campo político, e influenciado, também, pela aceleração dos indicadores de inflação de curto prazo, divulgados nesta manhã. Os juros com vencimento para janeiro próximo operavam estáveis, enquanto os mais longos, a partir de 2022, registravam queda. O dólar operava em leve queda de 0,08%, após subir pela manhã, cotado a R$3,843.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis