TC Mover
Mover

Bolsa sobe com expectativa de cortes de juros no Brasil e nos EUA, releitura da crise política

Postado por: TC Mover em 17/06/2019 às 14:49

A bolsa brasileira firmava alta no início da tarde desta segunda-feira, após oscilar bastante ao longo da manhã, e o dólar caía, com a expectativa quanto às decisões de política monetário do Federal Reserve e do Banco Central nesta semana e após digerir a demissão do presidente do BNDES no final de semana, que não gerou reações mais enérgicas por parte do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ou do establishment político.

 

Falas de Maia nesta manhã, que declarou mais uma vez seu compromisso com a Reforma da Previdência, deixaram o investidor menos tenso em relação ao ambiente político, após a demissão abrupta de Joaquim Levy do BNDES ontem. No cenário local, o mercado reflete também a divulgação da pesquisa semanal Focus, do BC, que fortalece as apostas na redução da taxa Selic ainda neste ano. O comitê de política monetária do BC, o Copom, se reúne na quarta-feira e espera-se que dê algum sinal em direção ao corte de juros. O mesmo resultado é esperado para a reunião do Federal Reserve, que começa amanhã.

 

As bolsas norte-americanas também registravam leve alta no começo desta tarde, sob influência da expectativa de redução de juros por parte do Fed. As apostas por um corte em julho continuam crescendo, porém, o mais provável seja que, se vier, a redução aconteça mais perto de setembro. A atividade econômica e a inflação fracas na maior economia do mundo sustentam essa visão.

 

BOLSA: O índice Bovespa avançava 0,33% às 13h20, a 98.359 pontos, liderado por Itaú PN e Petrobras PN, em dia de exercício de opções sobre ações, que, segundo traders, teve resultado preliminar de R$6,895 bilhões. Investidores seguem atentos à petroleira, que retomou processo de venda de unidades de fertilizantes. Na ponta oposta, Vale ON lidera perdas e cai 1,44% com o peso do preço do minério de ferro, que despencou na China. O volume projetado para o pregão é de pouco menos de R$9 bilhões, abaixo da média diária do ano.

 

CÂMBIO E JUROS: O dólar opera em queda de 0,25%, a R$3,89550, refletindo o posicionamento otimista dos investidores sobre as possíveis decisões do Copom e do Fed, ambas na quarta-feira. Já os contratos de juros operam nas máximas do dia, com o DI com vencimento para janeiro próximo subindo 2,5, pontos-base, a 6,050%. Alguns operadores disseram que a tensão entre governo e Congresso impede que os DIs recuem, ao longo de uma semana cheia de debates na Câmara sobre a proposta da Previdência.

 

EUA: Os índices Dow Jones Industrials e S&P500 tinham alta de 0,22% e 0,24%, respectivamente, à espera da decisão de política monetária do Fed nesta semana.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis