TC Mover
Mover

Bolsa opera em alta e dólar cai com expectativas pela Previdência em véspera de feriado

Postado por: TC Mover em 08/07/2019 às 13:21

O índice Bovespa sobe nesta segunda-feira, operando acima dos 104 mil pontos, e câmbio e juros registram queda, com investidores se preparando para o início das discussões da Reforma da Previdência no plenário da Câmara nesta terça-feira, que terá mercados brasileiros fechados por conta do feriado em São Paulo.

 

Após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, dizer que o ambiente é “propício” para aprovação da Previdência, ao concluir reunião com deputados e senadores no fim de semana, o mercado se mostra otimista nesta segunda-feira e se prepara para as sessões na Casa, que começam na terça e podem iniciar votação já na quarta-feira, caso a previsão de Maia se concretize. O presidente da Casa deve se reunir hoje com líderes partidários para seguir a articulação. A PEC precisa de 308 votos em cada turno para ser aprovada na Câmara.

 

Por outro lado, o clima de cautela global pesa no Brasil e impede que ativos tenham desempenho melhor. Investidores estão atentos ao que o Federal Reserve pode indicar quanto à taxa Fed Funds, que pode não ser cortada em 50 pontos-base como esperado. Nesta semana, o investidor foca em dois discursos de membros do comitê de política monetária do colegiado, o FOMC, bem como a divulgação da ata da última reunião, na quarta-feira. Ainda haverá sabatina do presidente da autarquia, Jerome Powell, no Congresso. Com isso, os índices Dow Jones Industrials e S&P500 operam em queda de mais de 0,5% no início desta tarde.

 

BOLSA: Às 12h40, o índice Bovespa subia 0,36%, a 104.467 pontos, próximo da máxima do dia, com investidores otimistas com a possibilidade de votação da proposta da Nova Previdência no plenário da Câmara em dois turnos ainda antes do recesso parlamentar que começa em 18 de julho. As ações ordinárias da Vale subiam 1,75%, a R$51,26, liderando ganhos no índice, com a retomada do rali do minério de ferro na China. JBS ON mostrava forte alta de 2,40%, a R$24,87, após analistas do BTG Pactual indicarem que a companhia ainda possui grande potencial de valorização com a redução dos custos de dívida. As ações do IRB Brasil registravam queda, a R$94,15, com investidores buscando reprecificação do ativo à medida que a oferta de ações da companhia pela Caixa se aproxima. Bradesco PN e Itaú PN lideram perdas. O volume de negociação projetado era de R$8,9 bilhões, muito abaixo da média diária do ano.

 

CÂMBIO E JUROS: O dólar futuro caía 0,37%, a R$3,815, na B3, acompanhando a desvalorização da moeda americana no exterior e com a menor percepção de risco dos investidores à medida que a Reforma da Previdência se encaminha para a aprovação da Câmara. A curva de juros cedia em bloco, com o contrato do DI com vencimento para janeiro de 2020 caindo 2 pontos base para 5,795% – refletindo dados do IGP-DI mais fracos que o consenso.

 

EXTERIOR: Os índices americanos Dow Jones Industrials e S&P500 recuavam 0,58% e 0,62%, respectivamente, com investidores atentos à sinalizações do Federal Reserve sobre o rumo da política monetária na maior economia do mundo – na semana passada, dados de emprego acima do consenso esfriaram a perspectiva de um corte na taxa básica ainda em julho. As ações da Apple, que caíam mais de 2%, também pressionavam o Dow Jones Indsutrials. O rendimento dos Treasuries de dez anos subiam 0,2 pontos base, a 2,038%.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis