TC Mover
Mover

Reorganização do GPA melhora governança, avaliam analistas; veem papel volátil

Postado por: TC Mover em 27/06/2019 às 11:13

O plano de reestruturação societária da GPA, que envolve a aquisição da colombiana Éxito e a migração das suas ações para o Novo Mercado da B3, é visto com bons olhos por analistas que, embora não vejam sinergias evidentes, consideram a melhor governança como o maior ganho.

 

A reorganização proposta pela controladora do GPA, a francesa Casino, tem o apoio da diretoria do GPA e envolve uma oferta pública para a aquisição, em dinheiro, de todas as ações da Éxito a um prêmio de 10% a 24% por ação, disseram analistas do Bradesco BBI, Credit Suisse, XP Investimentos e BTG Pactual. Em reais, a transação levaria a um desembolso de caixa para o GPA de até R$ 9,7 bilhões. Além disso, está prevista a aquisição pelo Casino da participação de 18,7% por meio das ações ordinárias que o Éxito detém indiretamente no GPA, a um “preço justo”.

 

Com isso, o desembolso líquido do GPA no processo ficaria em torno de R$3,8 bilhões, na estimativa do BTG Pactual, valor que deve ser parcialmente financiado pelos recursos recebidos da recente venda da Via Varejo, de R$2,3 bilhões, e parte com dívida. “Nesse cenário, a dívida líquida saltaria para 1,7 ou 1,8 vez o EBTIDA, ante 1,3 vez”, disse o banco.

 

Para o Bradesco BBI, apesar de haver muito “valor estratégico”, o plano deve aumentar em 11% o lucro por ação da GPA em 2020; além disso, embora a empresa brasileira assumisse dívidas adicionais, garantiria a primeira posição entre as varejistas na Colômbia. “As ações atualmente são negociadas em aproximadamente 16 vezes o lucro estimado para 2020 e esperamos ver uma reavaliação para a 18 vezes,”, dizem em relatório. O banco mantém recomendação de compra e elevou o preço-alvo da ação PN da GPA de R$110 para R$112.

 

Para o BTG Pactual, “a melhoria da governança corporativa para a nova holding na América Latina deve compensar o primeiro efeito negativo” de pagar um prêmio pela Éxito. Considerando o bom momento operacional da GPA e a maior inflação alimentar no Brasil, o banco recomenda compra, com preço-alvo em R$106.

 

Já a XP alerta que o fato de a transação ser neutra para o Casino em termos de entrada de caixa, “trata-se da compra de uma empresa baseada na Colômbia, sem ganhos claros de sinergia”, o que deve gerar mais volatilidade nas ações de GPA no curto prazo. O Casino detém uma participação direta de 22,7% no GPA e de 18,7% no Éxito, totalizando R$7,4 bilhões, contra uma participação de 55,3% no Éxito, avaliada em R$4,3 bilhões. Após a transação, o Casino deteria 41% do GPA, diz o BTG Pactual.

 

Às 10h30, as ações PN do Grupo Pão de Açúcar avançavam 10,66% na B3, a R$93,63.

 

(Foto: sede do GPA/Divulgação)

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis