TC Mover
Mover

Em dia de vencimento, XP, política e comércio são destaques; BCE, Fed e IPCA-15 no radar para a semana

Postado por: TC Mover em 18/11/2019 às 10:41

A segunda-feira começa com a decisão do Banco Central do Povo da China de reduzir a taxa de juros para as operações de mercado aberto de sete dias pela primeira vez em mais de quatro anos. Os protestos em Hong Kong não cessam, mas os mercados ignoram o risco crescente na região e os ativos de risco sobem. Em dia de vencimento de opções sobre ações na B3, à espera do feriado de quarta-feira e com uma agenda de dados mais intensa no meio da semana, o investidor deve repercutir a alta dos recibos das ações brasileiras em Nova Iorque da sexta passada, os detalhes sobre as ofertas públicas da Saudi Aramco e a brasileira XP, as notícias mais positivas sobre as conversas comerciais Estados Unidos-China e a política local – que tem como protagonista o tom raivoso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Os ativos de risco operam no início desta semana em tom positivo, com as bolsas asiáticas e europeias no azul, os futuros dos índices acionários americanos apontando para abertura em alta, o ouro em queda e os juros nos países desenvolvidos subindo. De novo, os mercados parecem achar um cenário menos apocalíptico para ações de mercados emergentes ou para as commodities, disseram membros experientes do TC. O corte de juros de hoje na China aponta para uma desaceleração controlada, sem inflação e ainda na presença de lucros satisfatórios nas companhias. Isso pode dar suporte às recentes máximas das bolsas nos EUA e nos outros mercados.

 

A Cemig divulgou prejuízo líquido de R$281,83 milhões, revertendo lucro na base anual. A Eternit reverteu prejuízo e lucrou R$35,7 milhões. A Braskem divulgou EBITDA de US$389 milhões. A Restoque divulgou prejuízo líquido de R$52,2 milhões, revertendo o lucro na base anual. A Sabesp divulgou um lucro de R$1,2 bilhão de reais, valor 113,9% maior na base anual. Já o EBITDA e a receita líquida da companhia saltaram 109,8% e 49,6%. Segundo coluna do jornal O Globo, o Cade, de olho em supostas condutas anticompetitivas do Itaú e da Rede, decidiu agora investigar as condutas do Santander e da GetNet no sistema de pagamentos.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis