TC News
News

Crescimento de despesas, provisões do Banrisul é preocupante, dizem analistas

Postado por: TC Mover em 11/11/2019 às 17:58

Analistas do BTG Pactual e do Bradesco BBI veem com preocupação o crescimento de despesas do banco estatal Banrisul, que divulgou seus resultados do terceiro trimestre na manhã de hoje, e, por isso, mantêm a ação PNB com recomendação neutra, enquanto o Safra recomenda compra por ver o preço muito descontado ante pares.

 

O Banrisul divulgou lucro líquido recorrente de R$291,9 milhões, ante consenso de R$310 milhões. O retorno sobre o patrimônio líquido recorrente, ou ROE, teve alta de 16,2%, ante consenso de 16%. A carteira de crédito registrou alta de 9,2% na base anual, e a margem financeira, de 5,8%. As despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa ficaram em R$349,0 milhões, alta anual de 40,9% e 18,6% no trimestre. As despesas administrativas somaram R$945,9 milhões, queda de 1,5% no ano, mas alta de 1,3% no trimestre.

 

“Depois de anos de maus desempenhos frente ao custo, o Banrisul iniciou uma tendência muito positiva nos últimos anos. No entanto, desta vez, as despesas operacionais, ou Opex, vieram acima do esperado, acelerando em relação aos trimestres anteriores”, dizem os analistas do BTG Pactual em relatório desta segunda-feira. Eles ressaltam, ainda, que a privatização parece distante, uma vez que o governador gaúcho Eduardo Leite é abertamente contra a ideia. O banco tem recomendação neutra para a ação PNB e preço-alvo de R$27,50.

 

Para o Bradesco BBI, os resultados vieram em linha com o esperado, mas a deterioração da qualidade do crédito preocupa: “observamos que o custo do risco surpreendeu pelo lado negativo, com despesas de provisão com alta de 19% no trimestre e 11% acima de nossas estimativas”, dizem os analistas. O relatório também destaca que, embora as receitas com taxas tenham aumentado 3,7% no trimestre e 12% anualmente, esse impacto positivo foi compensado por despesas acima do esperado. Para eles, o ROE parece ter atingido seu pico no segundo trimestre e agora se mostra com tendência de queda. “Vemos tendências positivas que sustentam os ganhos dos bancos perdendo resistência”. A recomendação é neutra com preço-alvo de R$24.

 

O único entre os três a recomendar compra do papel PNB é o Safra, para o qual as receitas com tarifas foram “bastante boas”, e as linhas de despesas de pessoal e administrativas também apresentaram bom desempenho. No entanto, há ressalvas: “destacamos que não vemos esse resultado como um gatilho para a ação”. De toda forma, é o mais barato dos bancos cobertos pelo Safra, negociando a 6,6 vezes o lucro estimado para 2019 – ante 12 vezes do setor. O preço-alvo é de R$32.

 

Às 16h40 o papel caía 1,59% a R$21,62. No ano, avança 1,11%.

TC News Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis