TC Mover
Mover

Bradesco BBI vê risco-retorno interessante nas operadoras de telefonia; prefere Oi, TIM Brasil

Postado por: TC Mover em 25/06/2019 às 13:56

A aprovação da lei que muda o marco regulatório das telecomunicações no país, assim como um mercado mais racional na precificação dos planos de telefonia, especialmente no segmento pós-pago, devem providencias um gatilho para as ações de operadoras de telefonia à frente, especialmente para os papéis da Oi e da TIM Brasil, disseram analistas do Bradesco BBi em relatório nesta terça-feira.

 

A equipe de analistas liderada por Fred Mendes tem como sua preferida no setor a ação ON da TIM Brasil, pelo potencial de ganhos no curto prazo após ter ficado atrás da ação da concorrente Vivo e do índice Bovespa em 13% e 15%, respectivamente, ao longo do ano. Segundo Mendes, TIM Brasil é a operadora “mais barata”, ou que tem os múltiplos mais baixos, na América Latina.

 

Do lado da Oi, a aprovação da chamada Lei das Teles tem potencial de elevar o preço dos papéis PN e ON da operadora em 20%. Para a TIM Brasil, o projeto deve pavimentar o caminho de uma consolidação à frente – que Mendes acha trará grande potencial de sinergia se fosse com a Oi.

 

O relatório ressalta a importância que mudanças regulatórias que desonerem a indústria são fundamentais para aumentar a rentabilidade, que sofre desde 2014 com uma economia fraca, alto desemprego e um pico na inadimplência das pessoas físicas, dois anos atrás. Dentre outras mudanças, o novo marco regulatório irá alterar o regime atual de concessão um de autorização, que traz maior segurança jurídica e incentiva novos investimentos em banda larga no setor.

 

Para o Bradesco BBI, há chance de a Lei das Teles ser aprovada pelo Congresso antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho. Se não for aprovado até lá, segundo o relatório, as chances de ser aprovado ainda este ano diminuem. Oi e Vivo teriam benefícios mais diretos, enquanto TIM Brasil pode se beneficiar indiretamente com uma possível fusão com a Oi devendo ganhar força.

 

Às 13h00, as ações preferenciais da Oi caíam 0,69% a R$1,43, recortando os ganhos no ano para 14,4%. Já as ações ordinárias da TIM Brasil recuavam 0,92% a R$11,80; o papel acumula lata de menos de 1% no ano. As ações PN da Telefônica Brasil, conhecida como Vivo, cediam 0,42% hoje.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis