TC Mover
Mover

Mercado cauteloso com G-20; Brasil repercute novo ministro militar nas Minas e Energia

Postado por: TC Mover em 30/11/2018 às 8:57

Começa nesta sexta-feira em Buenos Aires, na Argentina, o encontro das 20 maiores economias do mundo, conhecido como a cúpula do G-20, com as disputas comerciais e as recentes preocupações com o crescimento da economia mundial dominando as discussões. Quase 25 mil efetivos das forças de segurança da Argentina foram alocados na capital para cuidar dos presidentes Donald Trump dos Estados Unidos e Xi Jinping da China, o príncipe saudita Mohammad bin Salman, e Vladimir Putin, o líder russo.

 

O encontro, que completa dez anos em 2018, termina amanhã. A reunião entre Trump e Xi Jinping deve dominar as atenções – e mexer com os mercados na segunda-feira. Desde que os EUA decidiram em fevereiro impor sobretaxas sobre produtos importados de outros países, especialmente da China, a economia e os mercados globais se mostram voláteis. O temor de uma onda de retaliação, em um movimento de “guerra comercial”, assusta os mercados e impacta a percepção real dos preços dos ativos financeiros.

 

Hoje ainda teremos PIB brasileiro do terceiro trimestre, às 09h00 pelo horário de Brasília, que deve ter crescido 0,8 na base sequencial. Fique de olho na reação dos mercados aos números, prontamente posteriores à greve dos caminhoneiros que afetou o trimestre anterior. O dia ainda terá a reação das estatais e da bolsa à nomeação do almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior ao ministério de Minas e Energia e à evolução das negociações sobre a cessão onerosa.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado hoje, segundo Contribuidores TC

 

— O investidor repercute com cautela a informação do Wall Street Journal de ontem, de que os dois países, procurando aliviar as tensões comerciais e dar suporte aos seus respectivos mercados financeiros, buscam um acordo pelo qual Washington suspenderia a imposição de mais sobretaxas nas importações chinesas até a primavera, ganhando tempo para uma solução. Assim, os rendimentos dos Treasuries americanos de referência mantiveram-se perto dos patamares mais baixos desde setembro, enquanto o dólar operava estável.

 

— Na Ásia, o pregão desta sexta-feira foi misto: a bolsa de Tóquio subiu, assim como em Xangai e em Hong Kong mesmo após dados divulgados à noite mostraram que a economia da China continua fraca. Ou seja: o investidor interpretou essa fraqueza como um incentivo para o presidente chinês XI Jinping ceder a algumas das pretensões do seu colega americano Donald Trump. As commodities recuavam; de fato, o petróleo está a caminho de registrar sua maior queda mensal em uma década em novembro.

 

— Fique de olho no discurso do presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, hoje.

 

Principais notícias corporativas

 

— Eletrobras: Liminar que impedia a venda da Ceal, distribuidora da estatal em Alagoas, foi revogada pelo STF.

 

— Administradoras de shoppings: O setor prevê alta de 8% nas vendas no Natal.

 

— IMC: A companhia pediu mais esclarecimentos à Sapore sobre a OPA e disse que o aditamento ao edital não tirou todas as dúvidas.

 

— Itaú: O banco aprovou pagamento de juros sobre capital próprio no valor de R$0,0106 por ação, até 30 de abril.

 

— Linx: A companhia tomará medidas previstas em contrato contra o ex-diretor Dennis Herszkowicz, por ter violado acordo de não concorrência ao assumir o comando da Totvs.

 

— Suzano: O BTG Pactual reiterou compra no papel após a aprovação do acordo com a Fibria na Europa.

 

— Fibria: A troca de ações da companhia pelas ações da Suzano acontecerá entre 4 e 8 de janeiro.

 

— CCR: A companhia irá pagar R$81 milhões em multa ao estado de São Paulo por caixa dois pago a políticos, incluindo os ex-governadores José Serra e Geraldo Alckmin

 

— Mantenedoras: Fies tem o menor número de contratações desde 2010.

 

— Cemig: Cemig comprará ações de bancos na Light por R$650 milhões, diz O Globo.

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais
— 08hoo: Índice confiança empresarial de novembro – FGV
— 09h00: PIB do 3T – IBGE; consenso 0,8% na base sequencial
— 09h00: PIB do 3T – IBGE; consenso 1,6% na base anual

— 10h30: Resultado primário do setor público consolidado – BC; consenso -R$61,8 bi
— 10h30: Dívida líquida do setor público – BC


Indicadores internacionais
— 05h00: Vendas no varejo da Alemanha em outubro; consenso 0,4% na base mensal

08h00: IPC da Zona do Euro em novembro; consenso 2,1% na base anual

08h00: Núcleo do IPC da Zona do Euro em novembro; consenso 1,1% na base anual

08h00: Taxa de desemprego da Zona do Euro  em outubro; consenso 8,0%
— 16h00: Contagem de sondas de petróleo dos EUA – Baker Hughes; anterior 885

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis